Gigante da tecnologia, a Amazon pode estar prestes a se tornar um banco. Depois de conquistar os setores do e-commerce e de publicações de livros, a empresa vê um possível caminho de entrada no setor financeiro.

A opinião de alguns especialistas no ramo financeiro é de que os grandes bancos, com toda sua regulação, não serão capazes de deter o crescimento da Amazon.

Com sua base de consumidores, um montante de data e um investimento próprio de uma empresa bilionária apresenta uma ameaça para os grandes bancos

A Amazon já tem experiência na área financeira?

Desde 2011 a empresa fornece empréstimos para pequenos negócios digitais. Dessa forma, os empréstimos são na faixa de US$ 1.000,00 dólares e US$ 750.000,00 dólares.

Foi reportado recentemente que esses empréstimos totalizaram cerca de US$ 692 milhões de dólares. Se comparado aos grandes bancos, ainda é uma quantidade pequena. Porém esse projeto é um ponto de partida para o estaria por vir.

Em síntese, a Amazon tem percorrido seu caminho para entrar no mercado financeiro pelas suas próprias pernas. Sua expertise na área tecnológica e gestão são seus diferenciais, ou seja, sai na frente dos grandes bancos em relação à automatização dos projetos.

Da mesma forma, já possui uma tecnologia de inteligência artificial própria que foi abraçada pelo mercado. Isso possibilita, entre outras coisas, um contanto  cliente/banco completamente digital.

amazon, financeiro

Parcerias de alto escalão

O setor financeiro mundial é um dos que mais apresenta resistência quanto a entrada de novos competidores. Bancos já experientes e estabelecidos tomam conta dos mercados.

Leia mais: O que foi a crise financeira de 2008 e quais suas consequências?

A princípio, antes de se aventurar por um ambiente exótico é preciso de conhecimento. E além do mais, é preciso de orientação.

Por isso, umas das grandes conquistas da Amazon foram suas parcerias. Parcerias com o Bank of America e Goldman Sachs são um “certificado”de qualidade e confiabilidade para a companhia.

A parceria com o Bank of America, por exemplo, representa uma redução do risco na empresa e uma disponibilidade maior de capital para seu público.

Da mesma forma, o anúncio da parceria com a Goldman Sachs da a empresa ainda mais credibilidade. E principalmente, fornece recursos internacionais importantes para o desenvolvimento da empresa no exterior.

A Amazon tem competência para se tornar um grande banco?

Mesmo sem nenhuma experiência no setor bancário dos Estados Unidos, a Amazon não foi impedida de iniciar sua atividade bancária. Em países como a Índia, a empresa já aceitava depósito dos seus consumidores.

A empresa se comprometeu publicamente a investir cerca de US$ 7 bilhões de dólares para financiar suas operações.

Do mesmo modo, já trabalhava com cerca de US$ 27 milhões em depósitos dos seus correntistas, para produzir cerca de US$ 1 milhão em pagamentos. Esses pagamentos seriam em forma de múltiplos  programas.

Se você acha que a Amazon parou por aí, está errado.

Muito pelo contrário, em 2018 a empresa apresentava operações em cerca de 58 países. Com um público atingido de cerca de 1.2 bilhões de pessoas pelo mundo.

Com uma previsão de investimento de US$ 4 trilhões de dólares em 2020, a companhia apresenta sinas de contínuo crescimento.

A companhia já ajuda a conectar seus consumidores à vários  serviços de empréstimos e  depósitos em outras instituições financeiras. Dessa forma com o tempo a Amazon não vai fazer só esse elo de ligação, mas vai ser ela quem vai fornecer o serviço.

financeiro

Mas o que a Amazon tem a oferecer de diferente no mercado?

Essa é a grande discussão sobre a possível entrada da Amazon no setor financeiro, junto de várias outras empresas como Uber e Airbnb. O que elas tem de mais atrativo, em relação a estabilidade dos grandes bancos?

Como pudemos ver, as parcerias com grandes bancos ajudam na questão de estabilidade das companhias  em relação  à liquidez. Porém, o aspecto mais atrativo da entrada dessas empresas no mercado é a inovação no setor tecnológico.

Por mais que estejam entrando no mercado agora, a automatização e artificialização  dos projetos é de longe melhor do que  os demais bancos.

Dessa forma, o público foge da burocracia comum dos outros bancos e se depara com a flexibilidade de ter o controle na palma das mãos.

Além da capacidade tecnológica, outro ponto importante é o investimento próprio. Estamos falando aqui de uma das  5 empresas mais valiosas do mundo.

Então, será que toda a capacidade tecnológica e a bagagem no setor de tecnologia vão ser suficientes para que a Amazon chegue ao nível dos grandes bancos mundiais?

O que você acha? Deixa nos comentários!

Quer ler mais matérias do Boletim Econômico? Leia mais clicando no botão abaixo!