IGP-M mostra 30% de inflação, o que isso significa?

Os brasileiros têm sentido no bolso o aumento dos preços de tudo. Assim, o IGP-M, um dos índices que mede a inflação do país, está com um acumulado de quase 30% nos últimos 12 meses.

Mas, a inflação não estava em 5,2% ao ano?

Vem comigo que vou te mostrar o porquê desses 30%.

O que é IGP-M?

Bom, a sigla IGP-M significa Índice Geral de Preços- Mercado. Ele é realizado pela Fundação Getúlio Vargas e tem como objetivo monitorar e expor a variação de preços.

Assim, você pode perguntar, porque ele é tão diferente do IPCA, que está em 5%?

O IGP-M, no seu estudo, abrange mais fatores para calcular seu índice. Ou seja, ele vai desde matérias-primas até os bens e serviços oferecidos aos consumidores.

Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é feito pelo IBGE, mede apenas os bens e serviços que são oferecidos para os consumidores finais.

Dessa forma, o IPCA hoje é usado como meta de inflação pelo Banco Central hoje.

Stock Market Loop GIF by xponentialdesign IGP-M

Temos um texto só para mostrar essa diferença, se quiser saber mais, clique aqui.

Para que serve?

Bom, deu para ver que o IPCA é o Índice de inflação oficial do Brasil. Porém, usa-se o IGP-M para o reajuste de alguns setores da economia. Dessa maneira, os contratos de aluguéis, energia elétrica, mensalidade escolar, planos de saúde, seguros, entre outros usam esse índice.

Ou seja, esse aumento grande do IGP-M a gente não sente muito no mercado, e sim mais nos contratos. Dessa forma, no mercado a gente sente mais a variação de preços do IPCA.

IGP-M em 30%

Assim, vamos para a parte dos números agora. Antes de mais nada, esses quase 30% é o acumulado em 12 meses.

Assim, esse índice subiu bastante em no período de um ano.

IGP-M

Desde quando a inflação foi controlada no Brasil, o IGP-M não subia assim desde 2002. Dessa forma, essa alta pode ter vários motivos, como a crise fiscal, a taxa de juros baixa, entre outros.

Assim, o brasileiro sente no bolso essas variações de preço em um péssimo momento econômico do país. Visto que a pandemia deixou milhares de pessoas desempregadas ou com uma diminuição da renda.

• Veja também: Projeção de inflação em 5%: o que isso significa?

O principal motivo desse aumento

Logo acima foi citado algum dos motivos do IGP-M ter aumentado tanto, porém, ele tem um vilão em específico, a desvalorização do Real. Como o índice abrange outros setores, como a compra de matéria-prima, ele pega o aumento desses insumos.

Dessa maneira, o Real foi uma das moedas que mais desvalorizou no mundo em relação ao dólar. E, essas matérias-primas, como minério de ferro e soja, por exemplo, são cotados em dólar. Assim, com a desvalorização da moeda esses produtos acabam ficando mais caros.

Resultado de imagem para casa da moeda imprimindo dinheiro IGP-M

• Veja também: FGV: Conheça 5 economistas brasileiros que passaram pela Instituição

Além desse fator cambial, está acontecendo um fenômeno denominado de “boom das commodities”. Mas, o que é isso?

Quando o mundo paralisou devido a pandemia, essa demanda por commodities, ou seja, produtos brutos como minério de ferro e outras, caiu. Junto com essa falta de demanda, os preços também caem.

Porém, o mundo aos poucos vai voltando ao normal, menos no Brasil, que estamos longe disso. Dessa maneira, a demanda por esses produtos aumentou no mundo inteiro, e como tem mais pessoas procurando pelos produtos, eles aumentaram o preço.

O ruim disso tudo é que esse aumento é em dólar, assim, pela desvalorização do real, esse aumento vem 6 vezes mais forte.

Agora, porque um aumento de preços em commodities aumenta o preço de um aluguel no Brasil?

Para ser sincero, essa é uma das maiores polêmicas do uso do IGP-M no reajuste do aluguel do Brasil. Para alguns, deve-se fazer esse reajuste com índices focados apenas no mercado imobiliário.

 Eae, gostou do texto? Comente aqui em baixo sua opinião.

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

O que são FIDCs e como investir neles

Próximo

Pagamentos por Whatsapp: como vai funcionar?