Qual a importância de uma boa reserva de dólar para o país?

Você sabe por que ter uma reserva de moedas internacionais, principalmente dólar, é importante para a economia do país?

Então, no texto de hoje nós vamos falar dessa importância. Ficou curioso?

Continue com a gente.

O que é e para que serve essa reserva?

Reserva de dólar é um estoque de riqueza líquida emitida na moeda dos Estados Unidos. Funciona como uma poupança para o país, como se o dinheiro ficasse “embaixo do colchão”.

Em tempos de crise esse dinheiro “volta pra cima” com o objetivo de amenizar turbulências externas, como crises cambiais e interrupções nos fluxos de capital.

Ou seja, quando a economia anda mal ou o real oscila muito em relação ao dólar, as reservas podem entrar em ação, fornecendo previsibilidade aos investidores. O Banco Central é responsável por administrar essas reservas.

• Leia mais: Por que o dólar americano é uma moeda mundial?

Com a instabilidade do nosso câmbio, essa reserva pode ser mais valorizada ou menos valorizada.

Por exemplo: digamos que o Brasil tem uma reserva de 100 bilhões de dólares. Quando o dólar está valendo 1 real, essa reserva também vale 100 bilhões de reais. Por outro lado, quando o dólar vale 5 reais, essa reserva vale 500 bilhões de reais.

Até 2019, todo semestre que essa volatilidade aumentava as reservas, ou seja, quando o real desvalorizava, esse “lucro” ia para a União através do Tesouro Nacional. Porém, a recíproca é verdadeira, quando as reservas diminuíam, o Tesouro “pagava” esse “prejuízo” para o Banco Central.

O Governo Bolsonaro mudou esse esquema através de uma lei. Todo “lucro” dessas reservas não vai mais para o Tesouro Nacional e agora fica em uma reserva do próprio Banco Central.

Como já foi falado antes, o dinheiro da reserva pode ser usado em emergências, em outras palavras, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, decide quando usar o dinheiro mediante a justificativa.

Como o Brasil construiu a reserva de dólar?

No governo Lula, em 2002, adotou-se a política de acumulação de reservas iniciada em 2004, em conjunto dos sucessivos superávits comerciais ocorridos, com um pico em 2006.

Em janeiro de 2002, o montante de reservas internacionais era de 36,2 bilhões de dólares. De dezembro de 2003 a dezembro de 2008, o total de reservas internacionais passou de 49,3 bilhões de dólares para 206,8 bilhões de dólares.

Ao final do governo de Lula, o nível de reservas totalizou cerca de 288,575 bilhões de dólares. Após isso, o governo Dilma deu procedência a esse tipo de política, deixando o Brasil com um total de reservas em 2016 no valor de 365 bilhões de dólares.

Como estão as reservas hoje

O Brasil entrará em 2021 com um “seguro contra crises” praticamente igual ao visto no fim do ano passado.

Apesar de ter vendido dólares nos últimos meses ao mercado financeiro, para segurar a cotação da moeda americana, o Banco Central manteve o nível das reservas internacionais após os piores momentos da crise provocada pelo novo coronavírus.

Segundo o BC, o Brasil possui atualmente 356 bilhões de dólares em reservas internacionais, incluindo títulos, depósitos em moedas (dólar, euro, libra esterlina, iene, dólar canadense e dólar australiano), direitos especiais de saque junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e outros ativos que formam a reserva.

Em resumo, o BE é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e com seus familiares para que dessa forma possamos atingir mais pessoas.

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Oscar, Grammy e Emmy: como eles movimentam a economia?

Próximo

O que é desenvolvimento econômico sustentável?