Durante o século XX, a China mal havia se industrializado, grande parte da população passava fome e o país era visto como exemplo de como um antigo império pode se autodestruir em consequência de sucessivos erros políticos e econômicos.

Até o início de 1980, a nação era majoritariamente agrária, com uma indústria insignificante.

Além disso, as poucas fábricas que lá existiam estavam desatualizadas: 70% delas operavam de forma quase completamente manual.

Como a China se tornou uma potência?

Todavia, o país desenvolveu um plano de recuperação que o tirou do papel de polo miserável. Assim, o país se transformou no maior mercado consumidor do planeta e na economia que fica atrás apenas dos Estados Unidos, em relação ao tamanho.

De acordo com Linda Lim, especialista em mercados asiáticos e professora da Universidade de Michigan, o país se tornou algo como a “fábrica global”. Em apenas três décadas, ele implementou as três revoluções industriais que o Ocidente demorou 250 anos para promover.

Diante disso, para alcançarem a posição que possuem atualmente um dos principais objetivos da China foi investir na educação.

Entre 2010 e 2015, injetaram 250 bilhões de dólares ao ano no ensino superior — realizado tanto em universidades locais como pelo envio de alunos a instituições internacionais.

No aspecto do empreendedorismo, poucas nações produziram empresas tão revolucionárias quanto bem-sucedidas em um curtíssimo espaço de tempo. São exemplos a Huawei e a Xiomi.

Sendo assim, atualmente a China é o segundo país que mais investe em inovação.

Flag China Animated Flag Gif

A primeira potência comercial mundial?

Em 2013, a China se tornou a primeira potência comercial mundial, devido as suas trocas comerciais que ultrapassaram pela primeira vez na história os 4 trilhões de dólares.

Nesse mesmo ano, as exportações da segunda maior economia mundial cresceram 7,9%, para US$ 2,2 trilhões, e as importações 7,3%, para 1,9 trilhão, de acordo com dados do Serviço Alfandegário chinês.

Nesse cenário, o superávit comercial foi de 260 bilhões de dólares, 12,8% a mais do que no ano anterior.

A crescente influência da China no comércio mundial ameaça desmantelar blocos regionais comerciais, à proporção que o gigante asiático se torna o parceiro comercial mais importante para alguns países.

Portanto, a União Europeia (UE) confirmou a sua posição de maior parceira comercial da China, seguida por Estados Unidos, pelos países da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), Hong Kong e Japão.

Somente UE, Estados Unidos e Japão absorviam 33,5% do comércio exterior da China ao início da década de 2010. A balança comercial da China se tornou importante para o resto do mundo.

Exportações chinesas

O gráfico abaixo corresponde aos principais produtos que são exportados pela China e como suas exportações cresceram ao longo dos anos.

BBC Brasil: 70 anos da República Popular da China - Quão comunista ...

A China se tornou o maior exportador mundial em 2009, ao passo que os EUA se mantêm como os maiores importadores, absorvendo US$ 2,2 trilhões em bens, frente a US$ 1,82 trilhão em importações chinesas.

Atualmente, a China quer desenhar uma nova indústria que promete, até 2025, acrescentar 150 bilhões de dólares ao PIB.

Em uma extensa lista de tarefas a ser cumpridas, identificaram-se dez setores-chave a ser financiados pelo Estado — entre eles:

  • Tecnologia da informação
  • Automação
  • Automóveis elétricos
  • Medicamentos de nível genético e fármacos.

Todavia, as coisas devem ser alteradas devido a pandemia do coronavírus.

Por fim…

Em conclusão, nota-se que a China é um país que tende a crescer e se desenvolver cada vez mais. Por isso, o presidente dos EUA, Donald Trump, se preocupa tanto com os rumos da economia chinesa.

Para entender um poucos mais sobre a guerra comercial entre os EUA e a China, clique aqui.

China insists on US trade tariff roll-back | Sharecast.com

A China se tornou o maior polo comercial do mundo e, além disso, se tornou um país independente em várias áreas.

Além disso, a China é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, perdendo apenas para EUA e Argentina.

Ainda mais, graças ao boom das commodities, que aconteceu por causa do crescimento chinês no século XXI, muitos países viveram sua melhor época comercial.

📚💸 O Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e deixe-nos saber!