O Sistema Federal de Reservas (FED) dos Estados Unidos mudou a sua política fiscal visando estimular o emprego no país.

Nesse cenário, o FED vai deixar que a inflação cresça para impulsionar a criação de empregos, visto que o índice de desempregos aumentou muito, devido à crise do novo coronavírus.

Mas você sabe como essa política funciona? E porque ela está sendo feita?

Continue lendo para entender um pouco mais!

Afinal, o que é o Federal Reserve dos EUA? | Blog da BitcoinTrade

FED: entenda mais sobre o Banco Central dos EUA

O Federal Reserve System é o banco central dos Estados Unidos.

Diante disso, ele visa executar cinco principais objetivos para promover a operação eficaz da economia do país e, logo, do interesse público. Sendo elas:

  1. conduzir a política monetária do país para promover o máximo de empregos, preços estáveis e taxas de juros moderadas de longo prazo;
  2. favorecer a estabilidade do sistema financeiro e minimizar/conter riscos sistêmicos por meio de monitoramento ativo e envolvimento nos EUA e no exterior;
  3. promover a segurança e solidez das instituições individuais de finanças e monitorar seu impacto no sistema financeiro como um todo;
  4. incentivar a segurança e eficiência do sistema de liquidação e pagamento por meio de servições para o setor bancário e para o governo dos EUA que facilitam as transações e pagamentos em dólares americanos;
  5. promover a proteção ao consumidor e o desenvolvimento da comunidade por meio de supervisão e exame com foco no consumidor, pesquisa e análise de questões e tendências emergentes de consumo, atividade de desenvolvimento econômico e administração de consumidores, leis e regulamentos.

Clique aqui para entender como Trump lidou com a pandemia nos primeiros meses.

Qual o objetivo dessa nova política?

Com a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, não apenas os EUA, mas todos os países ao redor do globo estão enfrentando problemas sanitários e financeiros, sendo o desemprego um deles.

No atual momento, o pais enfrenta uma crise com desemprego acima de 10% e contração do PIB de 31,7% no segundo trimestre.

Em vista disso, o banco central dos EUA decidiu alterar a sua política inflacionaria.

Sendo assim, o presidente do banco central, Jerome Powell, explicou que a inflação pode permanecer acima da meta de 2%, antes que o FED decida aumentar as taxas de juros para contê-la.

Clique no botão abaixo para ler mais sobre inflação!

Dessa forma, o governo poderá aumentar os gastos com investimentos, a fim de aumentar o número de empregos.

Portanto, o objetivo desta mudança é corrigir as “deficiências” na concretização de um dos objetivos do FED, que é promover o máximo de empregos.

Para mais, também é o reconhecimento de que um mercado de trabalho dinâmico não implica necessariamente em aumento de preços.

Nesse cenário de pandemia, milhões de trabalhadores nos setores de turismo, hotelaria, restauração e outros serviços foram os mais atingidos pela crise.

Portanto, de acordo com o presidente do FED, esse índice de desemprego pode permanecer durante alguns anos.

Conclusões sobre a ação do FED

Por fim, conclui-se que o Fed realizou essa mudança na política de inflação com o intuito de promover um avanço econômico, diante do atual cenário e atender os interesses públicos.

Por mais que para alguns essa aparente ser uma escolha arriscada, Jerome Powell (presidente atual do FED) observou que a inflação persistentemente abaixo da meta de 2% é motivo de “preocupação”.

Logo, essa política pode trazer resultados positivos para os EUA.

📚💸 O Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e deixe-nos saber votando e comentando abaixo!