Conheça o RCEP: o novo e maior bloco comercial do mundo

Um novo acordo internacional foi assinado no dia 15 de novembro de 2020, dando início ao RCEP, o maior bloco comercial já feito no mundo. Mas você sabe o que isso significa?

Anteriormente, nós falamos sobre os blocos econômicos e sua importância para a economia mundial aqui no BE.

Neste texto, vamos conversar um pouco sobre o RCEP, o que ele é, quais países fazem parte e o porquê de sua importância.

O que é o RCEP?

O RCEP (Regional Comprehensive Economic Partnership – Parceria Econômica Global Abrangente) é o novo acordo de livre comércio firmado em 15 de novembro de 2020. 

O acordo é o maior acordo comercial do mundo: são 15 países cooperando. Embora hajam outros arranjos maiores (como a União Europeia), nenhum deles possui foco exclusivo em trocas comerciais.

Por isso, o RCEP é um pioneiro. O acordo visa reduzir barreiras tarifárias de importação e tornar as trocas comerciais entre os países membros mais fáceis e acessíveis.

Como nasceu o RCEP?

A princípio, a iniciativa para a criação do acordo partiu da China, em 2012. Na época, Barack Obama ainda era o presidente dos EUA, e promoveu a Parceria Transpacífica (TPP). A TPP é uma parceria que abrange 12 países, mas não inclui a China.

Com isso, a China começou a estruturar um novo acordo comercial, do qual pudesse fazer parte.

The Emperor Of China Is Out In Mulan Gif

Ainda mais, esse novo acordo precisaria ser grande o suficiente para incluir os países membros da TPP. Dessa forma, a China poderia desafiar a influência dos Estados Unidos sobre o comércio na região Ásia-Pacífico. 

Logo depois, com a entrada de Donald Trump no governo dos EUA, o cenário se tornou otimista para a China. Trump retirou os EUA do TPP, o que desestabilizou o acordo e, dessa forma, fortaleceu a ideia do RCEP.

Além disso, durante a década de 2010 a China se tornou uma verdadeira potência comercial, passando a ocupar o lugar de segunda maior economia do mundo. Com isso, grande parte das exportações e importações da região Ásia-Pacífico vêm da China, ou vão para o país.

Por isso, para os países dessa região, um acordo comercial envolvendo a China poderia ser muito benéfico. Esse fator também impulsionou o plano chinês.

Quem são os membros do RCEP?

O RCEP conseguiu cumprir o plano inicial da China. Desse modo, o acordo conseguiu abranger mais países que o TPP.

Ainda mais, o bloco não focou apenas na Ásia: países da Ásia, bem como da Oceania se juntaram à iniciativa.

Sendo assim, os países membros da RCEP são 15:

  1. Austrália
  2. Brunei
  3. Camboja
  4. China
  5. Cingapura
  6. Coreia do Sul
  7. Filipinas
  8. Indonésia
  9. Japão
  10. Laos
  11. Malásia
  12. Myanmar
  13. Nova Zelândia
  14. Tailândia
  15. Vietnã

Ademais, 10 dos países do RCEP já faziam parte da ASEAN, a Associação das Nações do Sudeste Asiático. Os outros 5 (Austrália, Cingapura, Coreia do Sul, Japão e Nova Zelândia) aceitaram cooperar com o acordo, mesmo não sendo parte da ASEAN.

rcep
Clique aqui para ver a imagem em alta resolução.

Azul: membros da ASEAN
Roxo: membros tardios da ASEAN (plus three)
Azul-petróleo: membros tardios da ASEAN (plus six)

Quais os benefícios do acordo?

A consolidação do RCEP é muito positiva para a China, que pensou e propôs o acordo.

Com esse bloco comercial formado por economias dependentes da economia chinesa, o país pode exercer influência direta em toda a região Ásia-Pacífico. Ainda mais, a iniciativa é uma demonstração de força que atinge diretamente os Estados Unidos.

Dessa forma, o sucesso do maior bloco comercial do mundo pode significar o sucesso chinês em movimentar peças, em uma região onde os Estados Unidos vêm perdendo poder de barganha.

This Is China GIFs - Get the best GIF on GIPHY

Da mesma forma, o sucesso do RCEP pode render ótimos frutos aos 15 membros do bloco. Isso, porque após um ano turbulento economicamente – graças à pandemia de coronavírus -, muitos países têm buscado acordos comerciais que facilitem suas vidas.

A necessidade global de voltar a exportar e importar a bons preços é urgente. Por isso, reduzir barreiras comerciais é uma promessa otimista para esses 15 países.

Assim, o Instituto Peterson de Economia Internacional diz que o acordo pode aumentar a renda global em US$ 186 bilhões por ano, até 2030. Por outro lado, alguns analistas acreditam que o acordo beneficiará China, Japão e a Coreia do Sul mais do que outros membros.

Isso, porque esses 3 países são os mais industrializados entre os membros.

Com isso, espera-se que o maior bloco comercial do mundo atinja altos valores, e seja positivo para toda a região que abrange.

E você, o que achou do RCEP? Deixe sua opinião abaixo e compartilhe esse post com seus amigos!

 

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Diego Maradona: a importância do futebol para a política internacional

Próximo

Como a Black Friday movimenta a economia?

Postagens relacionadas
Usamos cookies para garantir que oferecemos a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que está satisfeito com ele e concorda com a Política de Privacidade e os Termos de uso.
Total
0
Share