Tenho certeza que você já ouviu falar sobre a Crise de 1929 ou a Grande Depressão, mas você sabe porque ela aconteceu e quais foram as medidas econômicas após ela?

Para responder essa pergunta, elaboramos um post explicando a crise de 29, bem como a sua relação com as medidas que os países vêm tomando em relação à pandemia do Coronavírus.

A Crise de 1929 - Jovem Nerd

Contexto antes da Crise 

Antes da Primeira Guerra Mundial que findou em 1918, os Estados Unidos já se posicionavam como a maior potência econômica do mundo, porém, foi ao fim desse conflito que a economia norte-americana obteve, de fato, rápidos crescimentos.

Isso se deu pela própria estrutura econômica liberal que o país adotava, bem como a participação deste na guerra pela venda de armamentos, entre outros.

Em consequência, a indústria do país crescia cada vez mais e, em meio a esse cenário, o país era responsável pela  produção de 42% das mercadorias produzidas em todo o mundo.

Somado a isso, os EUA também eram o maior credor do mundo, emprestando tanto para a população do país, como para os países da Europa que estavam em processo de reconstrução após a guerra.

Como resultado da economia aquecida, o consumo interno do país começou a crescer, era o momento de pleno emprego nos EUA. (Desemprego a 4%)

Welcome to the 'Roaring Twenties' — again! | News for Fenton ...

Você sabia que a década de 1920 nos Estados Unidos ficou conhecida como Roaring Twenties  (loucos anos vinte)?

Por outro lado, esse boom econômico era firmado em bases frágeis que vieram a desmoronar com a crise de 1929.

A Crise de 1929 

Primeiramente, antes de analisarmos essas bases, é preciso saber que os EUA possuíam uma economia liberal e que com isso a intervenção do Estado na economia era mínima. 

Já fizemos um post sobre as escolas do pensamento econômico, clique aqui para ler.

Os empréstimos 

Em vista disso, em meio à euforia, muitos desses empréstimos eram feitos de maneira desregulada e sem a intervenção estatal, e eram destinados à população e ao financiamento de outras atividades econômicas.

O consumo 

Dessa maneira, era visto um aumento do consumo no país que vinha, em parte, desses empréstimos, levando a uma compra desenfreada por parte da população.

É importante lembrar que esse consumo consolidava o ideal de American Way of Life (Estilo de Vida Americano). 

Crise de 1929: a grande depressão econômica que faliu os Estados ...

Por outro lado, por mais que a indústria do país se expandisse e a própria produtividade do trabalhador também, este não recebia um salário superior.

Em consequência, não havia quem pudesse absorver a grande quantidade de mercadorias que o país produzia, nem no mercado de outros países, levando a uma superprodução.

Os investimentos 

Somado a isso, esse cenário de progresso permitia que os indivíduos passassem a investir cada vez mais no mercado financeiro comprando ações.

Esse investimento na bolsa de valores de Nova York era feito de maneira intensa, e assim, o valor das ações começaram a subir devido à grande demanda.

Todavia,  a ação dos investidores era especulativa (comprar uma ação para, em um curto espaço de tempo, revendê-la bem valorizada).

E assim, essa sensação de prosperidade de preços altos das ações era falsa, predominando, nos investimentos, a especulação financeira.

Assim sendo, com o passar do tempo, o caráter especulativo dos investimentos, bem como a superprodução, foram revelados e a esperança da prosperidade foi deixada de lado.

Em consequência, no dia 24 de outubro de 1929, conhecido como a “quinta-feira negra”, mais de 12 milhões de ações foram colocadas à venda.

Em resumo, o valor das ações despencou e a economia norte-americana estava quebrada.

Consequências da crise 

Imediatamente, os efeitos dessa crise foram espalhados pelo país e pelo mundo como em um efeito dominó, e colocaram em cheque os ideias liberais e do capitalismo.

Diante disso, o desemprego dos EUA se encontrava em 27%, o PIB havia caído cerca de 50%, e houve a falência de bancos e empresas.

 

taxa de desemprego crise 29
3

O período mais crítico foi entre 1929 e 1933, porém diversos países demoraram mais que tempo que isso para se recuperarem. 

Você sabia que essa crise reduziu o comércio internacional em cerca de 1/3?

Além disso, é importante lembrar que devido à proporção da crise, ideias de extrema-direita e fascismo tiveram grande repercussão na política da época. Isso ocorre pois, o fascismo e o conservadorismo italiano e alemão eram contra o modelo liberal de mercado.

Solução para a crise: New Deal 

Por conseguinte, para recuperar a economia norte-americana, foi criado no governo de Franklin Delano Roosevelt, eleito em 1932, o plano econômico New Deal.

Dessa maneira, o plano era inspirado nos princípios do economista John Maynard Keynes em que o Estado teria a participação direta na economia.

Franklin Delano Roosevelt

Em consequência, o Estado seria responsável pelo:

  • Controle na emissão de moeda;
  • Criação de políticas de emprego;
  • Investimento em setores básicos da economia.

Assim, dentro do New Deal, havia o plano de bem estar social (Welfare State) que conciliava medidas econômicas e socais.

Anteriormente, falamos sobre a teoria da demanda agregada proposta por Keynes, clique aqui para ler sobre.

Em resumo, o plano teve bons resultados, mas perdeu a força, em 1970, com o surgimento de perspectivas renovadas do liberalismo.

A Crise de 29 no Brasil 

Igualmente a outros países, o Brasil foi grandemente afetado, principalmente no seu setor econômico mais importante, a produção de café.

Dessa maneira, as exportações reduziram em 60% e o preço do café caiu no mercado internacional em 90%.

Diante disso, foi adotada pelo governo de Getúlio Vargas, por meio do Conselho Nacional do Café, a ação da compra, pelo governo, de sacas de café para a queima, pois reduzindo a oferta do produto, seu preço aumentaria.

Você sabia que a compra e queima de sacas de café foi uma prática por 13 anos?

Coronavírus e o New Deal 

As medidas que vêm sendo tomadas pelos países em todo o mundo devido à pandemia do coronavírus e a crise econômica que esta resulta levantam suspeitas do surgimento de um novo New Deal

Isso pode ser visto pela intervenção estatal na economia de ajuda aos trabalhadores, empresas e estabelecimentos, além do fechamento das fronteiras. 

Você sabia que o Plano Marshall pode ser ressuscitado em meio a pandemia do coronavírus?

Espero que tenha aprendido mais sobre a história do mundo e como a crise de 29 pode se assemelhar ao nosso cenário de pandemia. 

E você, o que acha? Comente aqui o que será que acontecerá após essa crise.👇