Nesta sexta-feira, 1º de maio, é comemorado em quase todo o mundo, o Dia dos Trabalhadores. Esta data é um marco importante no histórico dos movimentos trabalhistas. Mas você sabe o porquê que usamos este dia? Vamos explicar a seguir

Primeiramente, precisamos lembrar que o correto é Dia do Trabalhador, e não Dia do Trabalho.

Reivindicações trabalhistas: a criação do Dia dos Trabalhadores:

A partir das Revoluções Industriais que ocorreram durante o século XIX, mudanças estruturais marcaram de vez a consolidação do sistema de produção capitalista e decretaram o fim do sistema feudalista.

Como resultado, se deu o crescente êxodo rural da população para as cidades e a substituição da mão de obra humana para as maquinas a vapor, gerando desemprego e insatisfação popular.

Em meio às condições de trabalho insalubres, desemprego, trabalho infantil e exploração, se iniciavam as primeiras greves, na busca de melhorias de trabalho.

Deste modo, na Inglaterra, gradativamente, as associações conquistaram a proibição do trabalho de mulheres em minas, a proibição do trabalho infantil, a limitação do trabalho feminino e a limitação da carga horária.

Contudo, foi em 1889, durante a Segunda Internacional, realizada em Paris, que ocorreu a proclamação do dia 1° de maio como o Dias dos Mártires de Chicago e dos Trabalhadores.

A data foi escolhida em homenagem ao grupo de sindicalistas presos e mortos em 1886, durante uma greve nacional, nos Estados Unidos.

dia dos trabalhadores

A princípio, a greve iniciou-se  1º de maio, reivindicando a redução da jornada de trabalho para oito horas diárias. Mas, estendeu-se até o dia 4, quando polícia ocupou a cidade de Chicago e reprimiu com violência as manifestações.

O Massacre de Haymarket

Durante o protesto, na praça Haymarket, uma bomba estourou e, consequentemente, matou doze manifestantes. Assim, o episódio ficaria conhecido como Massacre de Haymarket.

Eventualmente, este dia só se tornou feriado após a primeira guerra, quando a França, seguida pela Rússia, adotou a data comemorativa pela classe trabalhadora.

Entretanto, nos Estados Unidos, o feriado denominado “Labor Day”, é comemorado na primeira segunda-feira de setembro, como forma de enfraquecer o movimento trabalhista internacional. O “trabalhismo”, como ficou conhecido o movimento da classe que lutava pelos trabalhadores, se tornou uma corrente econômica e política em todo mundo.

No Brasil a data foi oficializada como feriado por decreto em 26 de setembro de 1924, durante o governo de Artur Bernardes (1922-1926).

Histórico das regulamentações e legislações trabalhistas no Brasil:

dia do trabalho

  • A princípio, em 1919, ocorreu a criação do instituto do acidente do trabalho;
  • 1923 foi criado o Conselho Nacional do Trabalho;
  • No ano de 1925 o direito de férias foi estendido a 15 dias úteis para os trabalhadores de estabelecimentos comerciais, industriais e aos bancários;
  • Em 1930 Getúlio Vargas criou o Ministério do Trabalho;
  • A CF de 1934 estabeleceu: o salário mínimo, 8 horas trabalhadas diariamente, férias, repouso semanal, pluralidade sindical, indenização por despedida sem justa causa, criação da Justiça do Trabalho;
  • No Dia dos Trabalhadores, de 1943 criação da CLT e a Consolidação das Leis Trabalhistas;
  • Nos anos de 1962 e 1966 ocorreram a criação do 13º salário e a criação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS;
  • Ainda, em 2017, o Projeto de Lei conhecido como Reforma Trabalhista, alterou mais de 100 tópicos da CLT, tais como jornada de trabalho, férias, demissão, etc.