As criptomoedas são moedas digitais. Isso significa que elas não existem fisicamente, e estão presentes apenas no ambiente virtual.

A primeira criptomoeda, e também a mais conhecida, é a Bitcoin. Ela foi criada por Satoshi Nakamoto em 2008, depois da crise econômica mundial.

Atualmente existem cerca de três mil criptomoedas diferentes, cada uma com um propósito diferente, mas todas com o objetivo de melhorar a segurança e a eficiência na troca de ativos financeiros, e democratizar a distribuição e produção de dinheiro no mundo.

Hoje o Boletim vem falar sobre a Digital Renminbi, a nova criptomoeda chinesa. Se interessou pelo assunto? Continue lendo para saber mais.

Bitcoin

O que é a Digital Renminbi?

Não é novidade que a pandemia do Coronavírus desacelerou a economia mundial. Em vista disso, surgiram no mundo várias práticas digitais, como o pagamento via dispositivos móveis.

Diante disso, a China vem realizando testes com a sua criptomoeda estatal, a Digital Renminbi, com o intuito de injetar liquidez e retomar o crescimento econômico do país.

Além disso, vale ressaltar que o “yuan digital” (como é chamada a moeda chinesa) difere do bitcoin popular.

O Bitcoin popular não tem controle por parte de uma autoridade central e lastro em dinheiro de verdade. Por outro lado, a moeda chinesa funcionará de forma centralizada pelo Banco Popular da China e será atrelada à moeda nacional.

No dia 15 de abril, diversos prints foram espalhados pelas redes sociais chinesas sobre a moeda chinesa. O fato sugere que o projeto está em estágio avançado e que o lançamento oficial da criptomoeda chinesa pode levar pouco tempo para acontecer.

Ademais, os prints sugerem que, em um segundo cenário, dois usuários poderão simplesmente tocar celulares uns nos outros para executar transações.

digital renminbi

Como essa moeda digital pode ajudar no combate ao novo coronavírus?

Por mais que a situação no país já esteja controlada, as medidas de prevenção a disseminações do novo coronavírus ainda ficarão em vigor por um longo tempo na China e no mundo.

Portanto, a partir da Digital Renmibi, a China espera que o contato físico no comércio seja evitado.

Além disso, visa reduzir a circulação de notas e moedas, uma vez que a nova criptomoeda estatal vai permitir transações pelo smartphone via aproximação, dispensando também conexão com a internet.

Mas também, cabe destacar que plataformas de pagamento digital como Alipay, do grupo Alibaba, e o WeChat Pay, da Tencent, já estão difundidas na China.

Sendo assim, pelo que se sabe, apenas as cidades de Shenzhen, Suzhou, Chengdu e a província de Hebei estão realizando testes da nova moeda.

Nesse contexto, alguns funcionários do governo já estão até recebendo salários na moeda digital soberana, e isso deve ser expandido para Xiong’an, no sul de Pequim, sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

digital renminbi

Qual a conclusão disto?

Portanto, podemos concluir que a China, ao adotar essa nova criptomoeda, pode gerar consequências positivas, tanto para o combate ao novo coronavírus, quanto para sua estabilização econômica.

Além disso, a chance da Digital Renminbi possuir um resultado melhor, é maior, visto que essa moeda se diferente das outras no que diz respeito ao controle por parte de uma autoridade central e lastro em dinheiro de verdade.

Com isso, a Digital Renminbi se torna não apenas uma criptomoeda, mas uma política monetária tecnológica da China, que pode criar novos mercados para outros países.

Já imaginou ver o real brasileiro em forma digital?

💳 O Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e deixe-nos saber!