Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?

Primeiramente, admito que durante o período escolar, tive grande dificuldade quanto ao tema. Afinal, onde fica a Iugoslávia, qual a história desse território? Como o território dela foi se transformando ao longo do tempo? Por quais conflitos passou? Qual o seu fim?

Pra começar, quero dedicar esse texto aos meus professores. Acima de tudo, nas suas várias áreas, eles são os grandes cérebros brilhantes que me guiam. Alguns, com seus sorrisos, outros, com abordagens sérias e exigentes. Outros, com exemplos daquilo que não busco replicar em aula. No entanto, tento aqui, seguir as sinapses das brilhantes mentes que pude ter contato. Tentarei ser o mais didática possível.

Mas na intenção de não ser injusta, dedico este texto a todos os professores que tive contato. Alguns, mais ou menos próximos, no fundo, todos, inesquecíveis.

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

Fontes e localização

Como minha primeira fonte, cito a BBC Brasil. A produção sobre o tema, por sua vez, foi embasada no historiador Florian Bieber. Ele, ligado à Universidade de Graz Mira Milosevich, Real Instituto da Espanha e Banco Mundial.

Segundo a BBC Brasil, a Iugoslávia trazia diversas culturas em convívio. Assim, era este o contexto no sudeste da Europa, na segunda metade do século XX. Em conclusão, nos anos de 1990, ocorreram várias guerras civis. Em suma, resultaram 135 mil mortos, refugiados, desaparecidos, como revela Camila Veras Mota. A jornalista, poliglota, formada na USP, é quem explica sobre o tema, apoiada nas ideias do historiador citado acima.

Um ponto que aprendi com os meus brilhantes educadores, foi saber localizar, no “Tempo” e, no “Espaço”, os meus alunos/leitores. Professora e pesquisadora ainda em formação, vejo a importância de situar as pessoas!

Iugoslávia, mapas e educação

Observe o mapa abaixo:

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

A Base Nacional Comum Curricular, um documento produzido pelo Ministério da Educação, fala sobre “Tempo” e “Espaço”! Em resumo, nele são apontados algumas coisas que os alunos devem aprender em cada série, nas várias áreas do conhecimento. Portanto, no mapa abaixo, eu indiquei, com uma “bolinha”, a nossa localização. Usando o “Google Maps“, coloquei um indicador vermelho no continente europeu!

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

Abaixo, usei o “Google Earth“, mostrando, “mais de pertinho”, a área que iremos hoje estudar! A Iugoslávia não está presente em nenhum desses mapas! Isso pois o país não existe mais! Dessa forma, a Iugoslávia era formada por um conjunto de territórios, que hoje, são outros países. Esses, se tornaram independentes, sendo hoje, representados nos mapas como países!

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

A Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Macedônia do Norte e Kosovo, representam, o que antes, era a Iugoslávia. Os dois primeiros, são as áreas mais prósperas. O último listado, se tornou independente, mas não é reconhecido como país, por todas as nações. Em síntese, somados, são mais de 22 milhões de habitantes. Entretanto, trata-se de um território menor que o Rio Grande do Sul.

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

Localizando o leitor no tempo

Vamos fazer uma “viagem no tempo”. Com a queda do Império Romano, os eslavos pertenciam ao maior grupo linguístico na Europa! Eles se encontravam na Península dos Balcãs! Ainda de acordo com a BBC Brasil, Iugoslávia significa terra dos eslavos do sul. Em síntese, os eslavos foram se dividindo.

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

Pessoal, atenção, a queda do Império Romano representa um momento de transição, mudança! Estávamos saindo da Idade Antiga, para a Idade Média. Mas como nos lembra a historiadora medievalista, Ana Maria Coutinho, não se dorme em um período e se acorda em outro. Assim, essas datas da linha do tempo acima, são referências!

Entretanto, como aponta a professora de História Medieval da PUC Minas, as mudanças são lentas. Por sua vez, ela usa algumas ideias de Braudel, um historiador francês. Ele diz que as mudanças das mentalidades ocorrem na Longuíssima Duração! Assim, são 100 anos ou mais! Logo, essa data é apenas situar o leitor/aluno! Em resumo, essas questões enfrentadas na antiga Iugoslávia, ainda estão presentes nas “Mentalidades “de hoje.

Agora, você já está situado no “Tempo”, e no “Espaço”! São dois conceitos trabalhados, relembrados, pelo historiador: José D Assunção Barros.

Identidades, conflitos

E aqui, acrescento uma contribuição minha! Constantemente os grupos que possuem pontos em comum, se unem! Por exemplo, na escola, na vida em geral, fazemos amigos que possuem coisas em comum conosco. Nos identificamos com as pessoas. O historiador, José D’ Assunção Barros, trabalha sobre esse assunto em um dos seus textos.

Em resumo, o conceito de “Identidade” se relaciona com a identificação das pessoas. Vários grupos se identificam, se veem de maneira diferente um dos outros. Por vezes, esses conjuntos de pessoas entram em disputa, podendo possuir ideias contrárias.

Por conseguinte, algumas “Memórias” são esquecidas, outras, lembradas, e isso tudo está em disputa. Assim, por exemplo, alguns grupos sociais são mais atendidos pelo governo “x” ou “y”, possuem mais ou menos pesquisas produzidas sobre eles. Algumas estátuas nas ruas, mostram quais Memórias são lembradas, quais histórias são silenciadas.

Identidades na Iugoslávia

Conforme essa ideia, com a Iugoslávia não seria diferente. Alguns grupos se uniram devido à religião. Segundo a BBC Brasil, os cristãos ortodoxos se dirigiam para a atual Sérvia. Os croatas, possuíam características católicas. Já os bósnios muçulmanos, falam a o mesmo idioma que os sérvios e os croatas. Ou seja, como contribuição minha, aponto que existiam singularidades que os distinguiam.

Mas como bem lembra a professora Heloisa Guaracy Machado, historiadora antes atuante na PUC Minas, a língua em comum é importante para formar uma “Identidade Nacional”. Ou seja, a língua é um importante ponto para um povo se reconhecer parte de uma nação. É a chamada ideia de pertencimento!

Esse grande grupo de pessoas, com as suas minorias, formaram os dois grandes impérios, o Otomano e o Austro-Húngaro!

Um “salto no tempo

Primeiramente, dando um “salto no tempo”, vamos para o Período Contemporâneo! Se preciso, consulte os mapas acima e a linha do tempo! Dessa forma, utilizando as contribuições do historiador, Mário Cléber Lanna Júnior, o Mundo Contemporâneo tem forte ligação com o capitalismo. Nesse período, o homem desenvolve vacinas, máquinas ainda mais rápidas.

E atenção, tecnologias essas, que eram ágeis. O homem estava dividindo territórios. Na Europa, haviam questões como desigualdade social. Fora desse continente, vários países eram explorados.

No entanto, imaginava-se que estávamos evoluindo, que só havia a opção de melhora. Contudo, a Primeira Guerra revelou vários conflitos escondidos entre nações, continentes. Foi uma quebra de expectativa, decepção. Essa ideias são exploradas pelo último historiador citado. Abordagem essa tratada em História do Mundo Contemporâneo.

Com o fim da Primeira Guerra, os impérios litados anteriormente, perderam a batalha. Foi proposto então, em 1918, a União do Reino dos sérvios, croatas e eslovenos. Mas essa situação fazia com que grupos que haviam lutado em posições opostas na guerra, ficassem sob o mesmo reino. Croatas e Austro-húngaros lutaram contra sérvios. Os últimos, estavam no grupo dos Aliados.

Uma primeira Iugoslávia

Antes de mais nada, em 1929, forma-se o reino da Iugoslávia, ou “Primeira Iugoslávia”. Por sua vez, com a Segunda Guerra Mundial, esse território é invadido pelo eixo da Alemanha e Itália. E sabe aquelas diferenças internas? Bom, elas ressurgem, antes, adormecidas.

Do mesmo modo, os nacionalistas, croatas e eslovenos apoiaram os fascistas. Estavam assim, contra uma guerrilha comunista. Essas pessoas, ligadas ao sindicato, eram lideradas por Tito. O fascismo perde a disputa. Os comunistas vão ao poder, liderados por Tito.

Como se deu o fim da antiga Iugoslávia?
Acesso em: 16 set. 2021.

Segunda Iugoslávia

Diante disso, forma-se, em 1945, a República Federativa Socialista da Iugoslávia. Conhecida como Segunda Iugoslávia, existiu até seu fim, em 1992.

Era formada por seis Repúblicas: Eslovênia, Croácia, Bósnia Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Macedônia do Norte. Buscam um socialismo próprio. Ou seja, não seguiam o modelo Soviético. Por assim dizer, queriam uma alternativa para lidar com as suas questões e realidades. Diferente dos soviéticos, estavam mais abertos a se comunicarem com o mundo do Ocidente.

A Guerra Fria e a Iugoslávia

Durante o período da Guerra Fria, não se alinhou àquela guerra: Comunismo X Capitalismo! Entretanto, eles acreditavam na chance de um diálogo neutro. Abertura essa, com os Estados Unidos, o maior nome do capitalismo naquele tempo. Da mesma maneira, diálogo com a União Soviética, forte exemplo de comunismo na época.

Esse chamado socialismo de autogestão, acreditava que uma organização menos centralizada seria mais adequada. Assim, seria essa a adaptação para lidar com tantas etnias e diferenças em um mesmo lugar. Tito era fortemente apoiado. Sendo estável a situação, a saúde e a educação avançaram. E o povo, tão diferente entre si, se via como iugoslavo.

Seu lema era de irmandade e unidade. Mas os opositores e nacionalistas eram calados. Esse projeto, ideia de Iugoslávia, uma hora fracassaria. Montenegro, Bósnia e Herzegovina e Macedônia do Norte, eram diferentes do grupo da Eslovênia, Croácia e Sérvia. Em síntese, havia uma desconfiança entre norte e sul. Em suma, como lembra a BBC Brasil, a nação contava com uma forte dívida externa. Dívidas essas, contraídas após o fim da Segunda Guerra.

Liderança, crises e comunismos

O líder, Tito, morre em 1980. Mesmo assim, o governo comunista se mantem no poder até uma década depois. A União Soviética entra em crise!

Carla Ferretti Santiago, historiadora e diretora do ICH da PUC Minas, possui alguns apontamentos sobre o assunto. Nas aulas de “Reflexões Historiográficas” da PUC Minas, ela diz sobre a decepção em relação à União Soviética. Ao passo em que foi possível saber o que nesse lugar ocorria, muitas pessoas ficaram decepcionadas.

Em conclusão, o local era fechado para a comunicação. Bem como, o que se sabia, tratavam-se de rumores, boatos. Ao verem que a experiência comunista não deu certo, muitos integrantes de Partidos Comunistas, pelo mundo, se desfiliaram. Até mesmo intelectuais e militantes fizeram isso.

Independências

Em 1991, a Eslovênia e Croácia se declaram independentes. Primeiramente, é necessário dizer que a Croácia contava com uma grande população Sérvio croata. Olha a mistura de etnias! A Sérvia, liderada por nacionalistas, não aceita essa situação. Começa uma guerra civil na Croácia. A Organização das Nações Unidas decide entrar no conflito para separar a briga. Para saber mais sobre a ONU:

Em 1991, a Macedônia do Norte se tornou independente. Já em 1992, a Bósnia e Herzegovina entram em conflito. Lutando entre si, croatas, sérvios e bósnios tentam defender e expulsar outras etnias. Olha a ideia das “Identidades” aí! Nesse caso, as identidades, histórias e “Memórias” estavam em conflito!

Direitos Humanos e punições

Já em 1995, ocorreu um genocídio. Sérvios bósnios eliminaram cerca de oito mil bósnios de origem muçulmana.

Os Direitos Humanos estavam sendo violados! Vários deles foram julgados e condenados. Digo aqui que, por vezes, esse tipo de julgamento serve de exemplo. Significa mostrar ao mundo, que esse tipo de atitude não é aceitável. Mostra também, que as outras nações não aceitam mais essa conduta, mostrando seu poder.

Mas sérvios, Croatas e Bósnios fazem acordo em Paris. Mesmo mediadas pelo governo americano, as disputas não acabam. Isso pois, Kosovo, província da Sérvia, estava em conflito. A população era de maioria albanesa e muçulmana. A OTAN entrou na briga! Decide então, bombardear a Sérvia por meses.

Kosovo e não reconhecimento

Em 2008, Kosovo se declara independente de forma unilateral. Em síntese, isso significa que o outro país ao qual Kosovo fazia parte, não o reconhece. Por conseguinte, as outras nações também não o fazem. A República Federal Socialista da Iugoslávia, se dissolveu. Após esse fato, em 1992, se tornou a República Federal da Iugoslávia. Ainda de acordo com a BBC Brasil, o nome, Iugoslávia, some. Sérvia e Montenegro passa a ser o nome usado. Por fim, em 2006, Montenegro realiza a sua separação.

Como resultado, a Bósnia passa por uma crise. Perceba que a economia, política e sociedade, são pontos que interferem entre si! Guerras geram problemas políticos e econômicos. Além disso, é necessário pensar sobre o reconhecimento da independência de Kosovo. Por fim, digo que tantos conflitos impactam nas “mentalidades” ainda hoje. Esses traumas deixam marcas.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Entenda o que é protecionismo econômico

Próximo

Conheça os 10 pilares do Fascismo