Conheça a formação econômica do Nordeste

Hoje vamos fazer uma pequena introdução a formação econômica do Nordeste.

Sabemos que cada região do país passou por processos diferentes até os dias de hoje. Dessa forma, é comum que pessoas de outras regiões não conheçam os detalhes de cada uma delas.

Contudo , conhecer a gênese da economia do Brasil, é crucial para entender o Brasil que vivemos em 2021.

Então apertem os cintos e vem com a gente!

Economia Açucareira

A economia do Nordeste se inicia ainda no período colonial, de acordo com Celso Furtado, expoente no estudo da formação econômica do Brasil.

Inclusive, esse é um ponto chave nessa discussão, pois um dos fatores cruciais nesse período reside no modelo escravista de produção. Inclusive, não por acaso fomos o último país a abolir a escravidão o que nos trás sequelas até hoje.

Mercado de escravos no Recife

Além disso no início o Brasil foi uma colônia de exploração de Portugal que, em dado momento, deteve controle do mercado de açúcar global. Isso através dos prósperos cultivos de açúcar em, terras nordestinas.

Nesse sentido, o mercado de escravos se tornou o segundo melhor negócio do Brasil à época. Primeiro com os escravos indígenas, e depois por meio da mão de obra escrava vinda da África, sendo o Brasil o país que mais recebeu mão de obra escrava no mundo.

Crescimento em extensão

A expansão desse modelo de produção se daria pois os custos fixos da produção eram muito baixos, em especial com relação a mão de obra. Dessa forma, uma vez pago o preço do escravo a mão de obra era apenas alocada de acordo com as demandas do mercado externo de açúcar.

Ou seja, se os preços eram bons ele investia na produção de açúcar onde dirigia seus esforços ao engenho. Contudo se os preços fossem pouco atrativos, o dono do engenho reduzia a operação do engenho e focava sua mão de obra no plantio de cana, ampliando sua área total de cultivo.

Esse processo é chamado de “crescimento de expansão”, onde os baixos custos de mão de obra demanda uma baixa produtividade. Assim o dono do engenho tinha em mente apenas onde aplicar sua mão de obra de acordo com os preços do mercado.

Quebra do Monopólio

Por outro lado, esse modelo de era frágil apesar rentável, e em muito dependia do mercado externo de açúcar, em especial a Europa.

Contudo, do outro lado do mundo, a Europa passa por uma mudança drástica , em especial quando a Holanda, funda a Companhia das Índias Ocidentais. A primeira empresa de capital aberto da história.

Símbolo da Empresa

Agora, as grandes navegações, eram financiadas por quaisquer pessoas ao redor do mundo, e não apenas por reis.

Isso levou a um aumento da presença da Holanda junto as colônias da União Ibérica, o que culminou na invasão holandesa a Pernambuco.

Dentre os impactos mais notáveis desse evento está a quebra do monopólio do açúcar, um divisor de águas para o mercado português até então.

Economia Criatória

Devido a forma frágil com a qual evoluiu, sem ganhos reais em produtividade e muito ligada ao mercado externo, a economia do açúcar inicia um processo natural de colapso. Isso por não ser capaz de lidar com o negócio holandês já forte nas Antilhas e agora dentro do Brasil.

Diante disso novas opções de mercados ganham força, em especial a criação de animais. As vantagens em relação ao açúcar eram notáveis além de algumas colônias ao sul já começarem a se destacar como São Vicente e Sacramento no mercado do couro que substitui os produtos de algodão inglês bem mais caros.

Além disso o controle da reprodução dos animais se torna um trunfo em relação ao açúcar, isso porque reduz os gastos com capital e barateia a produção.

Além é claro do fato de que em meio a muita escassez, o “estoque” alimenta melhor uma família com leite e carne do que com cana-de-açúcar.

Fatores como esses, aliados ao sucesso da economia criatória no sul levou a uma adesão cada vez maior a esse modelo de produção e a uma migração para o interior do país em busca de alternativas.

Impactos para o Brasil

O modelo de criação de gado de pequeno porte para consumo próprio é, até hoje, presente nas regiões rurais do Nordeste.

Isso fomenta uma maior presença de criações em pequena escala ao invés das de escala para o mercado externo, o que por muito tempo contraiu a economia nordestina.

Criação de caprinos

Outro ponto notável foi o massivo êxodo rural do Nordeste para o Sul do país, onde o mercado de couro se mostra cada vez mais maior e em ascensão.

Assim, a migração tornou-se cada vez maior, sendo hoje, um dos maiores êxodos em volume de pessoas da história mundial.

Esses migrantes oriundos do Nordeste construíram boa parte do Brasil dos dias atuais. Já por outro lado ao norte do país rumo a Amazônia, esse êxodo garantiu o aumento territorial do Brasil.

Existem uma série de outros fatores ajuda a contar sobre o processo de formação econômica do Nordeste, já que aqui o que foi apenas uma breve introdução.

Quer saber um pouco mais? Fala pra gente!

Até a Próxima!

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

O mercado futebolístico

Próximo

Entenda o que são subsídios