Keynes x Hayek: conheça o maior debate econômico da história

Você já conhece o debate entre as ideias de Hayek e Keynes? Como ambos influenciaram e influenciam o debate econômico até hoje? Mais intervenção ou menos intervenção? Aqui você vai descobrir tudo isso e um pouco mais, vem comigo que te explico!

 

John Maynard Keynes

O economista britânico nasceu em 1883. Estudou na Universidade de Cambridge. Em 1905 graduou-se em Matemática recebendo orientação do professor e economista Alfred Marshall que o aproximou cada vez mais da economia.

Além disso. Em 1906, Keynes foi para a Índia onde trabalhou no serviço administrativo britânico, ficou lá durante dois anos, e publicou seu primeiro livro sobre economia.

Ainda mais. Em 1909 foi nomeado professor de economia no King’s College de Cambridge, onde permaneceu até 1915. Dividia seu tempo também como editor do Economic Journal, até 1945.

Contudo, após sair de Cambridge, Keynes foi para o Tesouro Britânico, com a missão de preparar a delegação do país que seria enviada para negociar no Tratado de Versalles depois da derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial.

Fato é que, Keynes, por não concordar com as duras condições impostas aos vencidos, saiu do cargo e em seguida publicou “As Consequências Econômicas da Paz”.

Além disso, Keynes foi um ferrenho estudioso das questões monetárias de sua época, foi um grande critico da Teoria Quantitativa da Moeda e também do padrão-ouro. Sua obra máxima foi a Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda.

QUAIS AS IDEIAS DE KEYNES?

P.Krugman lê J.M.Keynes: por que as crises não acabam sozinhas? - Paulo Gala  / Economia & Finanças
1: “Keynes, você é tão velho, e inútil, a economia moderna ultrapassou você”
2: “Oh Senhor! Estou caindo do penhasco! Me salve, Keynes!”
3: “Tudo ok, eu peguei você!” “Obrigado”
4: “Como eu estava dizendo, Keynes, você é inútil!”

Keynes vai nos dizer que, em economias em recessão, cabe ao governo o papel de investidor, para reaquecer a economia novamente. Já em economias superaquecidas o governo não deve investir, e sim diminuir seus gastos.

Keynes desenvolveu conceitos macroeconômicos como a demanda agregada. De forma simplificada, Keynes vai nos dizer que é a demanda que cria sua oferta e não o contrário, como dizia a teoria neoclássica de Say.

Outro pilar do keynesianismo é de que o nível de emprego não é determinado no mercado de trabalho. Em seu livro sobre a Teoria Geral, Keynes mostra como o mercado de trabalho não é autônomo e não tem força para determinar o nível de emprego.

Dessa forma, Keynes mostra que o que falta na verdade é uma demanda por emprego, e a falta de emprego não seria culpa por exemplo da CLT ou do salario mínimo, que encareceriam o custo do trabalhador.

Mas, então, por que falta demanda de trabalho segundo Keynes?

Ele nos diz que é porque essa economia está produzindo em um nível muito baixo, e ao olhar os determinantes de produção de uma economia, nós vamos encontrar: o consumo agregado, investimento agregado e exportações agregadas. Sendo assim, esse consumo, investimento e exportações nada mais são do que o conjunto de gastos que os agentes dessa economia fazem.

Portanto, tudo que consumimos em uma economia nós chamamos de consumo agregado, se todo mundo estiver com medo de consumir, não há consumo suficiente para demandar trabalho das pessoas, para produzir aqueles bens de consumo.

Da mesma forma, se os empresários não querem investir, também não há demanda por trabalho que seria necessária para realizar esses investimentos. Keynes então, simplifica o problema a uma insuficiência de demanda.

Além disso, Keynes formulou também outros conceitos como o multiplicador keynesiano.

Friedrich Hayek

Presentes Hayek | Zazzle.pt

O economista austríaco nasceu em 1889 e morreu em 1992. Filho de uma família de intelectuais, participou da Primeira Guerra Mundial e ao voltar começou os estudos na Universidade de Viena, onde fez estudos em filosofia e economia.

Anteriormente, durante sua juventude, Hayek era um socialista fabiano que via na intervenção do Estado uma melhor maneira de ordem social. Mais tarde, foi a leitura de um livro de von Mises, “O Socialismo”, que o fez mudar de posição e converter-se num liberal.

Além disso, Hayek é considerado por muitos um dos pais do liberalismo moderno. Foi também um dos maiores críticos da economia planificada, pois, crê que estas conduzem ao totalitarismo e à ausência de liberdade para o desenvolvimento individual.

Desse modo, Hayek teve muita relevância no século XX, tendo ganho o premio Nobel de economia em 1974, por seus trabalhos sobre a Teoria Quantitativa da Moeda.

Contudo, Hayek trabalhou por um tempo na Oficina de Contas encarregada de desbloquear e cobrar contas que outros Estados tinham com o governo da recém nascida Áustria. Em 1927 se tornou diretor do Instituto para Análise do Ciclo Econômico.

Hayek, também deu aula em varias universidades, tendo sido funcionário público em maior parte de sua vida. Encerrou suas atividades na Universidade de Salzburg onde se aposentou em 1977. Sua obra mais conhecida é “O Caminhão da Servidão“.

QUAIS AS IDEIAS DE HAYEK?

Turning Point USA - Socialists Have No Idea What They're Talking About ?  #SocialismSucks | Facebook

Para Hayek, o Estado deve intervir muito pouco na economia além dos serviços públicos básicos, e que a moeda deve ser desnacionalizada, portanto, o estado não poderia intervir na criação de moeda.

Além disso Hayek acha que o socialismo e as ideias coletivistas, em geral, são um retrocesso e que a sociedade ocidental já superou essa mentalidade. Ele também acredita que cada reforma que aproxima a sociedade do socialismo a coloca em uma ladeira em direção ao totalitarismo.

Ainda mais, o pilar central da teoria de Hayek era a de que os preços continham sinais de informação, promovendo ajustes harmoniosos e espontâneos dentro de uma sociedade de mercado.

Por outro lado, a intervenção do Estado na economia poderia causar falhas, levando, eventualmente, a investimentos ruins. Em última análise, isto resultaria em recessões econômicas e desemprego.

Em outras palavras, para Hayek os preços transmitem conhecimento a fim de que a economia funcione adequadamente, mas isso poderia ser distorcido por ações governamentais.

KEYNES X HAYEK

Keynes, Hayek e as origens de um debate econômico que nunca termina | G1 -  Pop & Arte - Máquina de Escrever

Fato é que esse embate entre Keynes x Hayek continua até os dias atuais. Ainda mais, suas teorias ganharam formas mais modernas, tendo em vista problemas atuais do século XXI.

Assim sendo, ambos tiveram grande importância para o debate em suas épocas, e revolucionaram conceitos chave para o entendimento geral da economia. Até hoje o debate sobre se o Estado deve ou não intervir na economia permeia os debates políticos e econômicos da sociedade.

Mas, e você? O que achou? Você segue alguma corrente de pensamento desses autores? Qual você mais gosta? Deixe aqui em baixo seu comentário.

Por fim, caso queira, responda nos comentários: o Estado deve ou não intervir na economia?

Total
168
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Saiba tudo sobre a corrida pela vacina no Brasil

Próximo

5 filmes para entender Política Internacional