Manual do Jovem: Educação financeira

Não se engane como a maioria. Educação financeira vai além de estudos, cursos, palestras e muita teoria.

Se você faz parte da gama de jovens com interesse pelo mundo financeiro. E quer saber algumas dicas de organização pessoal, financeira, planejamento de gastos e pensar a frente.

Esse texto é para você. Vem com a gente!

Não é de hoje que as pessoas tem acesso a inúmeras formas de conseguir um “dinheirinho” extra para comprar algo que deseja. As instituições e bancos saturam os clientes com diversas opções de limites de crédito e empréstimos para ganhar com o spread bancário.

E, é nesse momento, que alguns se perdem e acumulam dívidas. Que tem os juros altos e muitas parcelas. A fim de evitar esses problemas, a educação financeira pode te ajudar, e muito!

O que é e por que é relevante?

Ela pode ser entendida como o processo que aumenta o entendimento dos produtos e serviços financeiros. Logo, com a informação adquirida, melhores escolhas são tomadas.

Ou, em outras palavras, ela é a habilidade de saber como o dinheiro funciona.

Em nosso país, o nível de pessoas que dominam o assunto ou possuem o mínimo de informação, é muito baixo.

De acordo com a agência de crédito americana “S&P Global Ratings”, que realizou uma pesquisa mundial sobre a educação financeira, o Brasil está na 74º posição.

Conforme o ranking, estamos atrás de países considerado pobres, como: Togo e Zimbábue.

Além disso, a pesquisa também mostrou que 32% dos adultos possuem, pelo menos um, cartão de crédito. Mas apenas 40% deles são educados financeiramente para utilizar sem acumular dívidas.

Do mesmo modo, mais de 63 milhões de brasileiros estão com as contas em atraso, segundo uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Em suma, a importância de um maior nível de educação financeira contribui para a inclusão da população no sistema bancário. Assim, mais oportunidades individuais são geradas, bem como, um maior fomento da economia.

Principais conceitos:

De acordo com o que já foi explicado, a educação nos permite ter um plano para gerenciar a economia pessoal. Desse modo, é fácil saber com o que gastar e quanto gastar.

Abaixo, você vai encontrar dicas e conceitos sobre a educação financeira, que uma vez colocado em prática, pode te ajudar a economizar e investir no futuro.

1 – Reserva de emergência

Acima de tudo, é essencial ter dinheiro guardado. Imprevistos acontecem e é preciso estar munido para lidar com essas situações.

Se você não tiver uma quantia para usar em momentos difíceis, como: doenças, reparos em casa ou épocas de crises (Covid, por exemplo), o seu plano pode falhar.

Desse modo, qualquer investimento pode ser um fracasso. Tendo em vista, que você vai precisar retirar das suas aplicações para cobrir os gastos.

Afinal, como criar uma reserva de emergência?

A maioria dos analistas financeiros recomenda que a reserva de emergência seja equivalente a seis salários, podendo chegar a doze. Mas não se preocupe se não for. O importante mesmo é ter uma quantia para não passar apuros.

2 – Organização pessoal

Ter noção do que sai e entra nas suas finanças é crucial para não se perder. Além de ser um grande passo para se organizar.

Coloque em uma planilha os seus débitos e créditos mensais. Ou seja, tudo que consome, de forma fixa, o seu salário (aluguel, água, luz, mercado, internet). Dessa forma, o controle fica mais fácil.

A fim de facilitar sua organização, segue abaixo duas planilhas gratuitas:

3 – Crie metas de curto, médio e longo prazo

Ter objetivos é um bom caminho para se manter motivado. Ainda mais, quando realizados. Contudo, as conquistas de curto prazo podem servir de impulso para alcançar as de longo prazo.

A metodologia criada por Andrew Grove, OKR (em português – objetivos e resultados-chave) e utilizada pelo Google em 1999, tem o objetivo de alinhar e engajar resultados de uma empresa.

Assim, o modelo pode ajudar a traçar metas mais realistas.

  • Caso queira saber mais sobre a metodologia de OKR, clique aqui!
4 – Pague as contas atrasadas

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O percentual de famílias brasileiras com dívidas atingiu 72,9% esse ano.

Em vista disso, para não se enquadrar nesses números, saiba quanto da sua renda é possível dedicar para quitas dívidas e procure renegociar seu débito.

Para isso, liste os gastos de cartão, despesas gerais e registre os juros cobrados, ainda mais, se forem compostos.

5 – Viva o dinheiro

Uma boa maneira de se manter informado sobre as finanças é conversando com os outros sobre o assunto. Além de se manter informado com sites e jornais, falar sobre dinheiro, pode ser um bom começo para colocar a educação financeira em prática.

Educação financeira x Investimento

Educação financeira aliada a investimentos certos pode proporcionar um futuro bem mais tranquilo.

Cultura de investimento na sua vida

Antes de continuar, você sabe o que é investimento?

De forma resumida, investimento é pegar uma quantia hoje e tentar a transformar em mais dinheiro no futuro. E se engana quem pensa que para começar investir é preciso já ter muito dinheiro. Isso não poderia estar mais errado, qualquer um pode investir, não importa a quantia que tenha.

3 passos para começar a investir:

  • É muito importante saber que os investimentos dão retorno a médio e longo prazo. Ou seja, não espere ganhar muito dinheiro da noite para o dia;
  • O investimento precisa se tornar um hábito. Separe uma quantia por mês, ainda que um valor pequeno; e
  • Procure uma instituição financeira e analise as opções que ela oferecer para investir seu dinheiro de acordo com o seu perfil de investidor.
Um concelho do Boletim Econômico:
Comece a investir em corretoras ou bancos digitais que não cobram taxa de corretagem. Desse modo, você não vai perder dinheiro por deixar suas aplicações rendendo.

E ai, caros leitores? Concordam que passos simples podem enriquecer o seu bolso e te ajudar a melhorar a sua vida financeira? A mudança só depende de você!

Se gostou do conteúdo, comente e compartilhe. Em seguida, deixe sua opinião para entendermos o seu ponto de vista.

A educação financeira é para todos!!

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Conheça a história do União Brasil

Próximo

Consumo consciente e impactos econômicos