Por que há inflação?

Aposto que você já ouviu falar sobre inflação várias vezes e que provavelmente você tem uma noção do que é e o quanto ela influencia no nosso dia a dia.

Mas, a inflação é muito mais do que o simples aumento de preços, ela é o motivo do porquê seu poder de compra aumenta e diminui.

Então, vem comigo, que irei te explicar tudo isso no texto de hoje.

Afinal, o que é inflação?

dinheiro e inflação

Antes de mais nada, é importante lembrar que a inflação é o processo do aumento contínuo dos preços de bens e serviços.

E para saber se teve um aumento ou até diminuição, existem os indicadores de preços. Nesse caso, o mais utilizado é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que serve para definir as metas da própria inflação.

Além disso, a inflação também se altera decorrente da oferta e demanda da economia de acordo com a cesta de produtos.

A cesta de produtos, nada mais é do que o conjunto das categorias de bens e serviços existentes, por exemplo: alimentação, saúde, educação e afins…

O aumento ou diminuição dos preços das categorias é generalizado, afinal, nem sempre a porcentagem é a mesma para todos produtos dentro daquela categoria.

Se quiser entender um pouco mais sobre o assunto, clique no botão abaixo, pois o BE tem um ótimo texto explicando tudo com detalhes:

Inflação de demanda X inflação de custos

Outro ponto de extrema importância, é entender o que causa inflação e os seus tipos. Em outras palavras, não existe só uma inflação genérica, ela pode variar conforme o tempo, existindo inflação de curto prazo e longo prazo.

No curto prazo, temos como exemplo a inflação de demanda e a inflação de custos. No primeiro caso, ocorre com o aumento da procura por determinado item. Isso faz com que a demanda fique maior que a oferta, elevando os preços. Veja no gráfico abaixo:

Além da procura por determinado produto, a inflação de demanda ocorre também quando há mais crédito disponível na economia, fazendo com que as pessoas gastem mais. Por consequência, a demanda geral aumenta.

O outro caso citado anteriormente, é a inflação de custos, que ocorre principalmente com o aumento do custo de matéria-prima.

Dessa forma, o aumento não é acompanhado pela demanda, o que desincentiva o produtor a continuar com a produção de determinado bem, causando uma diminuição na oferta. Com isso, os preços são elevados e o poder de compra das famílias diminui, como podemos verificar através do gráfico abaixo:

A inflação no Brasil

Muitos contam que havia uma época que era possível voltar com a sacola cheia de pães com apenas R$ 1,00. Porém, o processo inflacionário faz com que o valor do real mude ao longo dos anos.

Antes de 1994, o Brasil estava vivendo uma hiperinflação, que em 1993 chegou a acumular 2477,15%.

Ver a imagem de origem Projeção de inflação

A fim de conter elevados números, o Brasil adotou consecutivos planos, como o plano Cruzado I e II, Bresser, Color I e Il.

Mas mesmo com as várias tentativas de conter hiperinflação, as polítcas adotadas de congelamento de preços e indexação de salários, só colaboraram para um cenário ainda pior.

Portanto, conforme os erros eram observados e os inúmeros planos não avançavam, iniciou-se em 1993 o Plano Real, que conseguiu quebrar o ciclo vivido pelo Brasil. Sendo assim, em 1994 o real começava a circular na economia, atingindo o marco de 22% o acumulado da inflação no ano de 1995.

Além disso, em 1999 o Brasil adotou o regime de metas de inflação, que se baseia no índice do IPCA.

Dessa forma, até os dias de hoje, o Conselho Monetário Nacional faz a fixação dessas metas, e o Banco Central, faz a definição das metas.

  • Por causa dos planos para conter a inflação, o Brasil já teve 9 moedas diferentes até agora. O BE tem um post sobre a história das moedas do Brasil, que você pode ler aqui.

O processo inflacionário

De modo prático, o processo inflacionário faz com que seu dinheiro perca valor, já que ele não acompanha a elevação dos preços.

Para entender melhor de maneira prática, vamos supor que o preço de uma barra de chocolate esteja 4 reais hoje, e que um problema na safra do cacau fez com que a produção de barras de chocolate atrasasse por meses.

Sendo assim, a oferta de barras de chocolate seria menor do que a demanda (inalterada), e a inflação faria com que o preço aumentasse para 6 reais, com o intuito de “equilibrar” o mercado.

Nesse exemplo bem simples, o seu dinheiro em todo o período continuou valendo a mesma coisa, os 2 reais ainda são 2 reais e assim por diante.

Porém, o preço da barra de chocolate se alterou, e então você está perdendo mais dinheiro para comprar aquele bem.

É claro que no dia-a-dia esse processo inflacionário é mais complexo, e as variações nem sempre são tão visíveis e fáceis de entender como no exemplo citado, pois esse processo muitas vezes distorce os preços, não conseguindo identificar o que é caro e barato.

BIG Bompreço big big bompreço bompreco bom preco GIF

Mas a lógica de modo geral é essa. Por isso, existem vários índices, além do IPCA, que auxiliam a medir essas variações e prever aumentos, além das correntes econômicas diferentes para conter a inflação, como políticas fiscais e monetárias, que podem ser expansionistas e contracionistas.

  • Quer saber como é possível que o Banco Central crie e multiplique moeda? Leia mais sobre isso aqui.

.

.

.

Eaí, você já sabia como funciona a inflação? Espero que esse texto tenha te ajudado a ter uma visão melhor.

Então, não se esqueça de compartilhar com os amigos e deixar seu comentário abaixo 😀

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

6 princípios para investir como Warren Buffett

Próximo

O que provoca uma crise financeira?