Tudo sobre Fordismo, Taylorismo e Toyotismo

A princípio, quando iniciamos estudos na área das empresas, damos logo de cara com os principais modelos organizacionais:

  • Fordismo;
  • Taylorismo;
  • Toyotismo.

A primeira vista, pode-se perceber a familiaridade dos nomes dos modelos.

Isso não ocorre por acaso! Dois dos modelos organizacionais que vamos abordar foram aplicados nas gigantes montadoras que datam o século passado.

Da mesma forma, o termo “Taylorismo” remete a Frederick Taylor, um dos fundadores da administração cientifica. 

Nesse artigo vamos te mostrar as diferenças entre os principais modelos organizacionais. Ainda mais, sua importância para a economia e as empresas.

O que são?

Antes de mais nada, vale reforçar o que são e para que eles servem. 

Esses modelos são nada mais do que estruturas já firmadas, e que podem ser aplicadas às mais diversas atividades.

Assim, podemos dizer que os MO definem como são distribuídas e agrupadas as atividades da empresa. 

taylorismo

Sendo assim, é muito importante para uma empresa que todos os processos estejam coordenados e funcionando de maneira fluida. Após isso, a empresa pode efetuar melhorias, a partir de análises estatísticas.

Com isso, desde a segunda revolução industrial alguns desses modelos se destacaram dos demais e foram firmados.

Todos possuem um mesmo objetivo: produzir mais ao menor custo. Porém, as formas que os modelos utilizam para atingir esse objetivo diferem. 

Em síntese, a diferença entre eles está no processo de produção, ritmo de trabalho, papel do funcionário, objetivo, entre outros. 

Podemos dizer que o Fordismo e o Taylorismo enfatizaram os princípios de fabricação. Por outro lado, o Toyotismo foca no aspecto da cultura organizacional e sua importância para a competitividade.

Agora, vamos descobrir alguns pontos de cada modelo?

Taylorismo

Frederick Taylor é conhecido por ser um dos primeiros nessa área. Mais tarde, ele deu início ao Taylorismo.

características

  • Divisão em tarefas específicas;
  • Alto nível de disciplina;
  • Ganho de produtividade.

Desse modo, o Taylorismo é um modelo gerencial baseado em diversas técnicas que visam a melhora da mão de obra.

Com isso, vemos ele como um sistema racional do trabalho, moldado no processo científico. 

modelos organizacionais

Ainda mais, principal maneira de aumentar a produtividade é a racionalização do trabalho. 

Assim, o foco do Taylorismo é minimizar os movimentos e tarefas não essenciais. Da mesma forma, diminuir o tempo fixação da mão de obra.

Fordismo

O Fordismo foi um modelo para indústrias criado por Henry Ford, que culminou na criação da Ford Motor Company em 1914. 

Características

  • Produção em grande escala;
  • Padronização do produto final;
  • Divisão das tarefas;
  • Linhas de montagem.

Dessa forma, o Fordismo tinha como objetivo a produção em massa a partir de ganhos de escala e eficiência.

Para ler mais sobre ganhos de escala, clique no botão abaixo!

Assim, Ford criou um processo produtivo que levou à criação de mais carros e de maneira mais barata.

GIF by US National Archives

Sendo baseado no Taylorismo, o Fordismo mantinha o modelo de produção anterior, mas aumentava a dinâmica do processo adicionando à esteira rolante. 

Outro aspecto era o ganho de eficiência resultante dos processos padrões. Ou seja, os processos eram divididos em tarefas menores, onde cada pessoa era responsável por uma etapa. 

Desse modo, eles repetiam a mesma tarefa. Por fim, ficavam mais rápidos no processo.

Toyotismo

Do outro lado do mundo, o Toyotismo surge como um modelo criado pelo japonês Taiichi Ohno, em 1962. Assim, as teorias de Taiichi foram testadas na montadora Toyota.

Características

  • Múltiplas tarefas por funcionário;
  • Eliminação do desperdício;
  • Variação da produção;
  • Autonomia.

Dessa forma, esse modelo enfatiza o trabalho de equipe. Em que os grupos se organizam e controlam seu próprio trabalho, na busca de uma melhora contínua. 

produção

O Toyotismo surge como principal modelo no quesito produtividade, mas também tem grande dificuldade de uso.

Sendo assim, as empresas utilizam esses modelos para terem maior eficácia em sua produção. De acordo com a área da empresa, ela escolherá o melhor modelo para sua produção.

E você o que achou dos três modelos? Tem um favorito? Conte nos comentários abaixo!

Quer ler mais artigos sobre conceitos de economia? Clique no botão abaixo!

Total
2
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Prós e Contras da economia digital

Próximo

Diferença entre política fiscal, monetária e cambial