Você sabia que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, propôs o imposto verde? O objetivo é taxar o carbono e preservar nossas florestas.

Mas por que muitas empresas são contra esse novo imposto?

Enfim, para entender mais sobre isso continue com a gente.

O que é o imposto verde?

A princípio, imposto verde é um tributo que incide sobre a emissão de gases causadores do efeito estufa na atmosfera, como monóxido de nitrogênio, dióxido de nitrogênio e dióxido de carbono, etc. 

Tem o objetivo de taxar aqueles que contaminam o meio ambiente, reduzindo a degradação da natureza e freando as mudanças do clima.

O Brasil ainda está cogitando sobre esse imposto, isto é, ainda não foi aprovado. É apenas uma proposta que precisa ser analisada pelo governo. Porém a expectativa é para que passe a vigorar a partir de 2021.

imposto verde

Leia também: Cisne Verde: o meio ambiente como nova ameaça à economia?

O que será taxado?

Como tudo isso é muito recente não se sabe exatamente o que será taxado. Em síntese, cada país tem seu próprio sistema, mas é possível fazer uma previsão dos setores que serão afetados com o imposto verde, com base no moldes internacionais.

  • As emissões de monóxido de nitrogênio (NO) e dióxido de nitrogênio (NO2).
  • Emissões de dióxido de enxofre (SO2)
  • A gestão de resíduos (domésticos, comerciais, industriais, de construção, etc).
  • O ruído produzido pela decolagem e aterrisagem dos aviões.
  • Os produtos energéticos (gasolina, diesel, gás natural, carvão, produção de eletricidade com combustíveis, etc.) cuja combustão provoca emissões de CO2.
  • Fontes de poluição da água (pesticidas, fertilizantes artificiais, ácidos, etc).
  • O manejo da terra e a extração e uso de recursos naturais.
  • As emissões de dióxido de carbono (CO2).
  • Transporte (emplacamento, uso, importação ou venda de veículos poluentes).

Gasolina, diesel, gás natural, carvão, produção de eletricidade com combustíveis fósseis, tudo isso seria taxado com o novo imposto. O imposto englobaria também cigarros e bebidas alcoólicas e todos produtos com efeitos colaterais sobre os consumidores.

Países que já cobram o imposto

A princípio, 25 países cobram esse imposto verde, dentre eles: Suécia, Suíça, França, Finlândia, Espanha, Polônia, Japão, Argentina, Chile, Colômbia, Portugal, Irlanda, México, Noruega, Dinamarca e Canadá.

Por fim, segundo dados do Banco Mundial, 45 bilhões de dólares foram arrecadados em tributos com esse imposto, apenas em 2019.

Empresas são contra esse novo imposto

Estamos no meio de uma crise provocada pelo Coronavírus. A maioria das pessoas físicas e jurídicas sofreram impactos financeiros nos últimos meses. Alguns impactos foram tão grandes que podem demorar anos para voltar ao normal.

Nesse sentido, uma proposta de um novo imposto agora acarretaria demissão em massa e prejuízo em desenvolvimento tecnológico em relação à redução de emissão de carbono. Isso aconteceria já que muitas empresas estão no meio de uma crise e teriam que diminuir a sua atividade para a redução de carbono.

O principal setor que é contra esse imposto são as companhias aéreas. A empresa que lidera essa campanha é a Air France-KLM, companhia franco-holandesa.

Nesse sentido, o presidente-executivo da Air France-KLM, Ben Smith, afirma que o imposto verde não apoia a redução de gases causadores do efeito estufa.

Afirma também que esse imposto serve para privar as empresas de crescimento e de investimento em tecnologias mais sustentáveis, em outras palavras, com a redução de lucro terão menos dinheiro para investir em projetos ambientais, por exemplo.

Efeitos para a população

Dessa forma, caso o imposto verde seja realmente aprovado pelo governo, o consumidor final vai ficar prejudicado. O valor final do produto ou serviço tende a subir, gerando o efeito cascata que é o reflexo do imposto em toda a cadeia de produção.

poor sailor moon GIF

O Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e familiares. Isso é muito importante para a gente! 🙂