Você provavelmente já se deparou com o termo “doença holandesa”. Mas você sabe por que este é um dos maiores medos dos países desenvolvidos?

Hoje, o BE te explica mais sobre a importância desse termo. Vem com a gente!

Onde surgiu a doença holandesa?

A princípio, como o próprio nome sugere, a doença holandesa (dutch disease) surgiu na Holanda, durante a década de 1960. 

Durante essa década, foram encontradas diversas reservas de gás natural no país europeu. Logo após serem encontradas, as reservas foram exploradas.

O gás natural é uma commodity, ou seja, um produto natural, não trabalhado industrialmente e que exige pouca qualificação da mão-de-obra para ser explorado.

Com isso, a Holanda passou a exportar muito gás natural para todo o mundo. Ainda mais, vale ressaltar que commodities, por serem matéria-prima para outros produtos, são de fácil venda.

Em vista disso, a exploração do gás natural na Holanda causou algumas reações, sendo elas:

  • Aumento do preço do gás natural na Holanda, consequência da descrente demanda internacional;
  • Valorização da moeda holandesa. Isso ocorre, pois, quanto mais a Holanda vendia gás natural, mais dólares entravam no país, aumentando a oferta de moeda internacional (reservas). Quanto maior a oferta, menor o preço do produto. Assim sendo, quando uma moeda fica mais barata, significa que ela valorizou em relação ao dólar;
  • Encarecimento dos outros produtos holandeses.

Quais as consequências disso para a Holanda?

Em decorrência do avanço na exportação de commodities, os produtos manufaturados da Holanda passaram a custar mais caro.

Isso ocorreu, pois, quando a moeda holandesa valorizou, ficou mais caro para os outros países comprarem seus produtos. 

Dessa forma, a um preço mais caro, os produtos industrializados e complexos do país perderam competitividade no exterior. Por isso, a Holanda apresentou terríveis quedas na exportação de produtos manufaturados.

Em seguida, a indústria manufatureira enfraqueceu no país, fábricas fecharam as portas e o desemprego aumentou em quase cinco vezes. 

Não suficiente, os investidores externos retiraram seu dinheiro da Holanda, deixando o país de “pernas quebradas”.

Doença Holandesa

Maldição dos recursos naturais?

Outros países também já passaram por esse processo.

Conhecida como “maldição dos recursos naturais” e “assassina da industrialização”, a doença holandesa infectou a Inglaterra em 1970, quando o país começou a explorar petróleo.

Consequentemente, a libra esterlina valorizou e a Inglaterra – um dos países mais industrializados do mundo – registrou perdas extremas na sua complexidade produtiva.

Com isso, o país enfrentou uma terrível recessão durante a década de 1980.

Do mesmo modo, durante a década de 2000 com o boom das commodities, Rússia e Canadá também foram ameaçados por causa do petróleo.

Ambos foram salvos pela queda do preço do barril de petróleo em 2016. 

Algum país já conseguiu se “vacinar” contra a doença?

A reposta é sim. Embora a doença seja holandesa, o remédio certamente é norueguês.

A Noruega descobriu reservas de petróleo no século XX e hoje é o maior exportador de petróleo do mundo.

E ao contrário dos outros países, eliminou a ameaça da maldição de recursos naturais criando um elevado imposto sobre a exploração do petróleo e criando um fundo para investir as reservas (remessas de dólares que entram com a exportação).

Dessa forma, a exploração do petróleo se tornou limitada, assim como a exportação da commodity. Como resultado, a quantidade exportada de petróleo não chega a atrapalhar os outros setores da economia norueguesa. 

A Noruega e a doença holandesa

Ademais, o fundo que guarda as reservas advindas da exploração do petróleo ajudou a controlar a entrada de dólares na economia norueguesa, o que estabilizou a taxa de câmbio e não a deixou sobrevalorizar.

O Brasil já sofreu de doença holandesa?

Esse é um ponto de divergência entre os principais economistas. Muitos dizem que o Brasil sofreu com a armadilha dos recursos naturais em 2010.

Por outro lado, muitos economistas defendem que o Brasil não é um país industrializado o suficiente para passar pelo processo de desindustrialização via aumento da exportação de commodities.

Diferentes visões e teorias econômicas

Outra discussão do campo fica entre autores que acreditam ser dever do Estado controlar a eminência da doença holandesa para proteger seu setor manufatureiro, como foi feito na Noruega.

Da mesma forma, existem autores que acreditam nas forças do mercado acima da proteção estatal, e argumentam que os países deveriam se aproveitar das commodities, principalmente se elas forem a vantagem comparativa do país.

Mas sobre vantagens comparativas nós falamos mais nesse outro artigo.

📚💸 O Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e deixe-nos saber votando e comentando abaixo!