Nos últimos dias, o mundo inteiro acompanhou o processo de contagem dos votos para a eleição do novo presidente dos EUA.

Em meio a esse processo, uma característica se destacou e ficou clara a todos: a grande demora na apuração dos votos no país mais desenvolvido do mundo. 

Dessa maneira, no post de hoje, explicaremos o porquê dessa duração.

Vamos lá?

Eleições americanas: confira a apuração dos votos da disputa pelo  Legislativo dos EUA em mapa interativo - BBC News Brasil

Conhecendo o presidente dos EUA

A apuração dos votos que começou no dia 3 de novembro e elegeu o novo presidente dos EUA no dia 7 de novembro. Porém, ela ainda está em andamento. 

Muitos Estados já terminaram a contagem dos votos, que garantiu a quantidade suficiente para a eleição de Joe Biden.

Entretanto, há ainda aqueles que presenciam disputas locais que podem ser resolvidas só em semanas. 

• Veja também: Joe Biden eleito: como isso afeta o Brasil? 

Cenário único 

Além disso, devido ao cenário de pandemia e todas as dificuldades, os EUA presenciou um aumento da participação dos votos postais.

Tais votos possuem uma lógica diferente para serem contabilizados. Por isso, se torna um dos mais demorados. 

Você sabia que esta foi a 2ª apuração mais demorada dos EUA desde a década de 60? A primeira foi em 2000, demorando 36 dias para o resultado final.

Igualmente, as eleições de 2020 tiveram um recorde no número de votos, tendo a maior participação em 50 anos. Ressaltando que os votos são facultativos.

Não obstante, o processo de contagem é extremamente burocratizado e protegido.

Right To Vote Election 2020 GIF by Mozilla presidente dos EUA

• Veja também: Autonomia do Banco Central, o que isso siginifica?

Desse modo, é importante lembrar a grande autonomia dos estados no país que decidem de forma livre como serão os votos e como serão apurados. 

Não entende como funciona as eleições dos EUA? Já fizemos um texto sobre isso. 

Um caso: Arizona e o presidente dos EUA

Como exemplo de como se dá a apuração, aqui está alguns dos passos desse processo no condado de Maricopa, no estado do Arizona, noticiado pelo El País. 

Veja a matéria completa do El País.

Segundo a reportagem, os votos no condado são armazenados no escritório eleitoral em Phoenix. 

Em seguida, do armazém, os lotes são separados e destinados a uma sala em que os 300 voluntários processam as cédulas. 

Assim, em uma sala com todos os voluntários e webcams ligadas 24 horas que estão sendo assistidas pelo mundo e por observadores eleitorais dos partidos, 

  1. escaneia-se o código do envelope que representa apenas um eleitor e uma cédula;
  2. compara-se a assinatura do envelope com uma já registrada;
  3. há uma auditoria aleatória das assinaturas para se apurar ainda mais;
  4. separação do envelope e da cédula, tornando o voto anônimo;
  5. primeira apuração: máquina que lê a cédula marcada à mão pelo eleitor;
  6. em caso de erro, há uma revisão manual que conta com uma equipe dos partidos para verificar a validade e intenção do eleitor. 

Você sabia que nestas eleições, as cédulas do condado de Maricopa incluíam opções para o presidente, senador federal, deputados, entre tantos outros?

Por fim, os computadores utilizados não são conectados a internet, mas a um servidor.

Todavia, de tempos em tempos, um pen-drive recolhe as últimas atualizações e passa a um computador conectado à internet.

Dessa maneira, estas são postadas no site do estado.

As próximas etapas 

Somado a isso, há algumas etapas que se seguem ao processo de contagem de votos para que o novo presidente assuma o cargo de fato. 

Dessa maneira, a apuração dos votos da população tem o prazo de até o dia 8 de dezembro

Em seguida, no dia 14 de dezembro, é a vez dos delegados do Colégio Eleitoral de se reunirem em seus estados para votar. 

Assim, esses votos são encaminhados para a provação do Congresso que tem até o dia 6 de janeiro de 2021 para contá-los e anunciar, então, o novo presidente dos EUA. 

Ademais, em caso de empate dos votos do colégio, há uma eleição parlamentar em que;

  • Cada estado tem direito a um voto na Câmera de Representantes;
  • Cada senador ter direito a um voto .

Por fim, a posse do futuro presidente dos EUA está prevista para o dia 20 de janeiro de 2021.  

Reação de Trump até então 

Como dito, isso é apenas uma maneira, das várias de como cada estado do país lida com seu sistema de contagem. 

Count every vote': protesters take to streets across US as ballots tallied  | US news | The Guardian presidente dos EUA

Em meio a isso, o futuro ex-presidente dos EUA, Donald Trump,  questiona a fiabilidade do sistema. Assim, indica uma possível ameaça a democracia. 

Não obstante, Trump já tem demonstrado que pedirá a recontagem de votos, como havia dito alguns meses atrás. 

Assim, tal posicionamento dá continuidade às falas de Trump nos últimos meses. 

Gostou do texto? Não esqueça de deixar sua reação.