Em quase todos os países do planeta Terra, o PIB irá apresentar uma queda nesse ano de 2020. Isso se dá pela pandemia do novo Coronavírus.

Porém, apesar de ainda estar em queda, a situação melhorou para o Brasil.

Quer saber como? Continue lendo que o BE te explica.

Projeções anteriores

Em primeiro lugar, as projeções que serão analisadas serão as do Banco Mundial. Alguns meses atrás, a instituição havia colocado que o Brasil teria uma queda de 8% do PIB.

O banco justifica que a América Latina é o continente mais afetado pela pandemia do COVID-19, devido a queda de demanda dos outros países, já que a maioria é exportadora, queda do turismo e a quarentena.

Dessa forma, o Brasil sofreria essa queda muito grande do PIB, visto que o país produziu e vendeu muito menos dos seus produtos, como a soja, por exemplo.

Porém, alguns fatores fizeram a instituição rever suas projeções, diminuindo essa queda para 5,4%.

Banco Mundial concede empréstimos de emergência a 100 países - ISTOÉ  DINHEIRO queda do pib

• Veja também: O que aconteceu no primeiro debate presidencial dos Estados Unidos?

Por que essa queda suavizou?

Alguns fatores trouxeram essa consequência para o país. O primeiro fator é que os comércios mundiais estão voltando aos patamares de antes da crise. Dessa forma, o Brasil está voltando a exportar seus produtos.

O Brasil é um dos maiores exportadores de soja e outros produtos do mundo. Assim, como a demanda está crescendo, a produção aumenta e consequentemente o PIB também cresce.

Outro fator que ajudou nessa melhora foi o Auxílio Emergencial concedido pelo governo. Apesar de ter um problema fiscal, o auxílio manteve a economia girando.

Segundo o Banco Mundial, como o Brasil usou os dados dos beneficiários do Bolsa Família, o governo conseguiu atingir muitas pessoas com o programa.

Dessa forma, em relação à América Latina e ao Caribe o Brasil saiu de quarto pior para sexta melhor colocação. Isso mostra o quanto o Continente não está indo bem na economia.

Os órgãos brasileiros

Por outro lado, os órgãos brasileiros estão mais esperançosos em relação ao Banco Mundial. Segundo o Ministério da Economia, o PIB irá retrair 4,7%, já o Banco Central propôs a redução de 5%.

Outra projeção em que há divergências entre os órgãos é a retomada do PIB no ano de 2021. O Banco mundial supôs que o Brasil irá crescer 3% no ano que vem, o Ministério da Economia 3,2 e o Banco Central 3,9.

Estimativas para o desempenho do PIB — Foto: Economia G1

• Veja também: Banco Mundial na guerra contra o Coronavírus

O que esperar disso tudo?

O Brasil, antes da pandemia, já era um país que estava em uma crise grande. O país sofria (e ainda sofre) com a previdência pública, que causa um déficit muito grande.

Do mesmo modo, havia uma esperança a mais pelos economistas do país pelas pautas das Reformas do Ministro Paulo Guedes, e a Reforma da Previdência já aprovada.

Assim, tudo indicava que teríamos uma retomada econômica do país. Mas, no meio do caminho tinha o Coronavírus, tinha o Coronavírus no meio do caminho.

A crise da pandemia trouxe, além da crise causada pela quarentena, houve também muito gasto do governo.

Pode ser que o déficit desse ano seja de até 1 trilhão de reais.

Shocked Face Wow GIF

Por outro lado, essa previsão do Banco Mundial ter melhorado é uma boa referência de uma possível retomada econômica no próximo ano. É um sinal para ser otimista, já que uma das maiores instituições do mundo está reconhecendo que nossa economia está voltando.

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos.