Manual do Jovem: formas de ingresso na universidade

Quando tive a ideia da criação desta coluna, pensei: o que eu deveria saber quando jovem mas estava “no mundo da lua”? Primeiramente, eu diria que o ingresso na universidade era um grande mistério. Em resumo, meus pais não foram para o ensino superior. Assim sendo, eles não poderiam me orientar sobre o que era ensinado ali.

Quais eram minhas opções? Essa coluna é feita de forma colaborativa. Ou seja, não somente eu escrevo para essa área do jornal. Apesar disso, fico orgulhosa de a ter criado. Afinal, é uma forma de ajudar o jovem que se sente perdido. Dessa forma, você também pode usar os comentários para sugerir temas e mostrar suas dúvidas!

Fonte: GIPHY. Mason Ramsey. Acesso em: 18 dez. 2021.

Quais as portas de entrada para o ensino superior?

Talvez, para que você se sinta mais situado, preciso de dizer que existem duas grandes portas de entrada para a universidade. Uma delas, é justamente o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio. Outra, são os vestibulares de cada universidade. Além disso, dentro dessa categoria eu acrescento os processos simplificados de cada instituição de ensino superior.

Para compreender um pouco sobre o ENEM, é necessário entender a sua história. Assim, seu surgimento, e como ele se tornou tão conhecido e popular entre os pré-vestibulandos, será discutido. Da mesma forma, será apresentado como funcionam os vestibulares e os processos simplificados das universidades.

Somado a isso, será listado os programas e bolsas ligadas ao ENEM. No entanto, outra notícia falará, posteriormente, das seleções em universidades exteriores. Além disso, outras manchetes explicarão detalhes sobre os programas e bolsas relacionadas ao Exame.

O que é o ENEM

Segundo o próprio portal do Ministério da Educação – MEC, o Exame foi criado no ano de 1998. De acordo com a fonte, ele

“[…] tem o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica. Podem participar do exame alunos que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores.

(MEC).

Ainda consultando o site, foi declarado que cerca de 500 instituições utilizam do ENEM para realizar o ingresso na Universidade. Mas também foi informado que essas instituições poderiam usar também o vestibular. Dessa forma, complementando o processo seletivo. Assim sendo, parte das universidades substituíram as seleções, usando apenas o ENEM. Outras instituições de ensino superior usavam ambas as formas de ingresso.

O ENEM e sua história

Um ponto a se levantar é justamente o fato de que o site do MEC não possui a história do ENEM. Dessa forma, foi necessário usar outras fontes a fim de “montar esse quebra-cabeça”. O Guia do Estudante possui uma interessante matéria sobre a história do Exame.

A notícia foi escrita por Juliana Morales. Mas atenção, o site não conta com explicações sobre a autora. Em suma, o nome da redatora é relativamente comum, não sendo possível achar o seu currículo. Esse ponto traz certa desconfiança no leitor. Por assim dizer, talvez seja interessante por parte do Guia do Estudante, aprimorar essa área do portal. Entretanto, escolho essa fonte pois se trata de um site já amplamente conhecido. Mas deixo aqui alertado o leitor sobre o fato de não se saber exatamente quem é a autora do texto utilizado.

Segundo a fonte acima, o ENEM passou a ser usado para entrada em instituições de ensino públicas, a partir de 2009. No ano de sua criação, apenas 115.575 participantes fizeram a prova. Contudo, inicialmente o Exame funcionava mais como uma autoavaliação. Ou seja, para que o aluno soubesse como estava em relação àquilo que deveria supostamente ter aprendido na escola.

Nos anos 2000, as coisas mudaram. As universidades ainda usavam o vestibular. Entretanto, algumas começaram a somar a nota do vestibular àquela do ENEM. Em resumo, as notas dos discentes “subiam”.

Um ENEM mais inclusivo

Já em 2001, o processo de isenção teve início. Nele, os educandos da rede pública passaram a não pagar a inscrição! Ainda de acordo com a matéria do Guia do Estudante, o Exame registrou 1.829.170 inscritos no ano seguinte à essa decisão.

Indo além da notícia usada como base para a escrita desse texto, a isenção é um grande avanço. Isso pois, os alunos com menores condições financeiras começaram a poder sonhar com o ensino superior. Sem isso, a universidade ficaria restrita àqueles com boas condições financeiras. Ou talvez, com “um ou outro” integrante da camada mais pobre da sociedade.

Retornando ao Guia do Estudante, em 2004 foi criado o ProUni – Programa Universidade para Todos. Como dito antes, outra matéria falará mais detalhadamente sobre o ProUni. Mas em síntese, esse Programa oferece bolsas parciais ou integrais.

“Novo ENEM”

O Guia do Estudante aponta que a criação do Sistema de Seleção Unificada – Sisu, mudou um pouco as formas de ingresso na universidade. A partir de 2009, o formato passou a ser de 180 questões, somado a uma redação. A intenção passou a ser substituir o vestibular das universidades federais. Mas Juliana Morales, autora do texto, diz que a prova foi cancelada e remarcada devido ao escândalo de vazamentos.

Já em 2010, o Fundo de Financiamento Estudantil – Fies, passou a ser centralizado no ENEM. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep passou nesse ano, a coletar certas informações. Esses dados eram principalmente sobre a condição dos inscritos e deficiência.

Indo além do texto, a inclusão do Fies foi uma oportunidade para os educandos. Isso pois, aqueles que não haviam passado em uma universidade federal ou estadual, gratuitas, passaram a adentrar as privadas. Aliás, não somente relativo ao ingresso na universidade, mas também nos centros universitários e faculdades. No futuro, falarei em outra matéria, sobre a diferença entre os três tipos de instituições de ensino superior.

Fonte: GIPHY. Worldstar Hip Hop. Acesso em: 18 dez. 2021.

Em 2020,

“Aconteceu a primeira edição da modalidade digital do exame. O exame-piloto teve 96 mil candidatos inscritos, mas a abstenção chegou a 68%. O MEC prevê que a aplicação do Enem se torne 100% digital até 2026.”

(GUIA DO ESTUDANTE, 2021).

Um olhar atento

O ENEM passou a melhor atender os alunos de escolas públicas. Abriu assim, maiores possibilidades para a sua participação. Contudo, a dificuldade da prova também é uma barreira para essas pessoas.

Isso pois, parte dos educandos das escolas públicas trabalham quando não estão em aula. Em suma, não necessariamente possuem tanto tempo para os estudos. Além disso, nem condições financeiras para atividades que complementem aquilo ensinado no ambiente escolar. Cursinhos pré-Enem e vestibulares, passagem, alimentação, acesso a livros e materiais de estudo não é algo barato! Essa não é a realidade de todos, mas de boa parte da população brasileira.

A pandemia teve impactos gritantes nessa realidade, afetando o ENEM e a nossa economia. Para saber mais sobre,

O ENEM e os vestibulares

Segundo o Estadão, em 2020 já se falava nos impactos da pandemia em 2021. Com essa situação, o calendário de ingresso na universidade se alterou. Ocorreu um atraso na realização das provas. Várias instituições mudaram suas datas. Em suma, cada uma adotou um início de semestre letivo. Públicas e privadas tiveram que se movimentar e ajustar as coisas.

As maiores universidades do país precisaram se organizar melhor. Unicamp e USP não usam apenas o ENEM para a sua seleção, mas a intenção era essa progressiva substituição. O contexto mudou tudo!

O portal NSC em 2013 falava que em 2014 a UFMG não usaria mais o vestibular. Mas em 2021, o site da UOL, já noticiou sobre o retorno dessas provas. Outra notícia da UOL revela que a UFSC também realizará vestibular em 2022. O Guia do Estudante diz que UFT retornará com essa antiga forma de ingresso na universidade.

https://www.boletimeconomico.com.br/wp-content/uploads/2021/12/giphy360p-1.mp4
Fonte: GIPHY. The Simpsons. Acesso em: 18 dez. 2021.

Uma “confusão” e suas consequências

‘Raciona comigo’, o ENEM centraliza as avaliações. Ele possui a vantagem de garantir que todos tenham acesso a uma mesma prova. Entretanto, não leva em conta o ensino baseado nas particularidades de cada região do país. Além disso, conta com alto grau de dificuldade. Entretanto, possibilita que qualquer um possa se candidatar a uma vaga em qualquer área do país. É possível até mesmo acessar financiamentos e programas governamentais a partir dessa avaliação.

No entanto, se antes a ideia era centralizar as avalições nesse Exame, a pandemia mostrou que talvez essa alternativa “bagunce” o calendário das instituições. Em resumo, muitas voltaram a adotar o vestibular. Já outras, não haviam adotado apenas o ENEM, mas uma forma de ingresso mista. Por essa razão, os vestibulares e processos simplificados precisam ser explicados.

Somado a isso, investigações sobre a interferência do governo federal estão sendo feitas.

Vestibulares e processos simplificados

Universidade, centro universitário e faculdade precisaram resolver esses problemas. Os vestibulares nunca foram totalmente excluídos. Contudo, agora retornaram com uma força maior.

Uso aqui como exemplo, a PUC Minas. Se me permite dizer, caro leitor, entrei na universidade com um vestibular na capital mineira. Depois utilizei a nota do ENEM para alcançar um financiamento estudantil, nesse caso, o Fies.

Caso você não saiba como ingressará na universidade, cada instituição funciona de uma forma. Por exemplo, de acordo com o site da PUC Minas, agora o processo seletivo é feito com uma redação on-line. Tal forma é conhecida como processo simplificado. Ele foi adotado a pouco tempo, depois que cheguei no ensino superior. Em resumo, nesse modo, as próprias universidades selecionam como deverá ser a avaliação.

Fonte: GIPHY. Women’s History. Acesso em: 18 dez. 2021.

Outras instituições estão usando as notas escolares dos discentes. Uma opção é o uso de vestibulares. Em alguns casos as questões são feitas pelos próprios professores do local de estudo. Mas esses processos simplificados de universidade e de vestibulares só valem para aquele local em específico!

Caso você já saiba qual universidade quer fazer, precisa ficar atento ao site da instituição. Eles fazem o uso do vestibular? ENEM? Processo simplificado? É oferecida várias opções de ingresso no ensino superior? A universidade oferece bolsas específicas caso o aluno entre com vestibular ou outra forma?

Ficou em dúvida sobre alguma forma de ingresso na universidade? Escreva nos comentários! Futuramente escreveremos outras notícias sobre as bolsas de estudos do governo existentes! Além disso, sobre os rankings que nos ajudam a pensar as melhores opções. “Forte abracinho”, se cuida.
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anterior

Economia do Nordeste: Ontem x Hoje

Próximo

Impostos para a Pessoa Física