Você sabe o que é vantagem comparativa e vantagem competitiva?

Quando o assunto são negócios, é comum escutar aquela frase: “O empresário deve saber se reinventar”.

O contexto dela é bem simples, estamos falando de um ambiente de negócios cada vez mais competitivo. Ou seja, é preciso encontrar alternativas para se destacar e se diferenciar dos demais concorrentes.

Da mesma forma, isso é uma preocupação dos países. É preciso ter uma estratégia para se destacar no comércio mundial.

Nesse post, vamos explicar as diferenças entres vantagem comparativa e vantagem competitiva.

Vantagem Competitiva

Antes de mais nada, vantagem competitiva é aquela que se refere à execução de alguma atividade, como a produção, por exemplo.

Deixa eu tentar explicar melhor…

Vantagem é um tipo de condição ou posição que caracteriza superioridade a algo, ou a alguém. Ou seja, é uma diferenciação que coloca aquele que tem a vantagem à frente do outro.

Tanto os países e as empresas quando falamos do mercado competitivo, precisam encontrar maneiras de se diferenciar dos seus concorrentes.

Dessa forma, podemos definir a vantagem competitiva como a diferenciação da empresa ou nação, dos seus concorrentes. Ainda mais, essa diferenciação pode ser medida através de esforço, produtividade, tecnologia, etc.

Deste modo, o país que possui maior tecnologia, produtividade, ou se destaca em alguma área acima dos outros, possui essa vantagem.

Vantagem competitiva

Vantagem comparativa

Da mesma forma, existe também a vantagem comparativa. Esse é um conceito econômico introduzido por David Ricardo no livro The Principles of Political Economy and Taxation, datado de 1817.

David Ricardo foi um economista britânico, contemporâneo de Adam Smith. Ricardo fazia parte do grupo de economistas e filósofos que se intitulavam como fisiocratas.

Assim, Ricardo trouxe em seu livro o conceito de vantagem comparativa, que procurava investigar e explicar as diferenças de produção e comércio entre países diferentes.

Como resultado de sua investigação, essa tese se contrapôs à de Adam Smith, da vantagem absoluta. A princípio, Ricardo buscou analisar qual dos países possuía um custo de oportunidade menor do mesmo bem.

O que é custo de oportunidade?

Custo de oportunidade é um conceito econômico que parece complicado a primeira vista, mas é bem simples de compreender. O custo de oportunidade de alguma coisa é aquilo que você abre mão por ela.

Ou seja, o custo de oportunidade de um país produzir mais petróleo do que soja é a quantidade de soja que ele deixa de produzir.

A ideia da vantagem comparativa é que os países se especializem naquilo que estão mais propícios a produzir. Dessa forma, a nação, seja qual for o produto que é produzido por ela com menor custo de oportunidade (commodities, agricultura, tecnologia…), deverá focar na produção deste.

Desse modo, a nação se especializa no que ela faz de melhor, e teria uma vantagem comparativa às demais.

Nos negócios, o raciocínio é o mesmo. A empresa que se especializar no que faz de melhor, vai ter uma vantagem comparativa em relação às demais.

O problema da vantagem comparativa é que os produtos não têm o mesmo valor. Dessa maneira, um país que produz um produto mais barato vai ficar prejudicado em relação aos países que produzem produtos mais caros.

Isso ocorre, pois, ao vender estes produtos, aquele que se especializou no produto mais caro poderá lucrar mais.

📈🎓 O Boletim Econômico é uma iniciativa de estudantes para estudantes. Por isso, se gostou do post, compartilhe com seus amigos e deixe-nos saber!